Médica agredida após negar atestado de Covid-19 sem diagnóstico positivo teve traumatismo craniano

Sabrina Ribeiro foi vítima de agressões por um casal em uma unidade de saúde localizada em Novo Gama, município do interior de Goiás

A médica Sabrina Ribeiro de Oliveira Lacerda foi vítima de agressões físicas praticadas por um casal, na última quinta-feira, 27, dentro de um Centro de Referência da Covid-19, localizado em Novo Gama, município do interior de Goiás. Após sofrer lesões na região temporal da cabeça e ser levada a um hospital, foi constatado que a médica sofreu traumatismo cranioencefálico leve.

Na ocasião, a profissional teria se negado a fornecer um atestado médico de Covid-19 após o casal não apresentar exame que indicasse o diagnóstico positivo para a doença causada pelo coronavírus. O casal em questão mora em Santa Maria, no Distrito Federal. Após a constatação do traumatismo craniano, Sabrina pôde retornar à sua casa, mas permanece em observação e repouso.

Ao solicitar o exame, a mulher alegou que havia realizado um teste rápido em uma farmácia no Distrito Federal, e que o resultado teria sido positivo. No entanto, após a médica solicitar uma cópia do exame, a paciente afirmou que havia perdido o documento que comprovaria o diagnóstico. Quando Sabrina afirmou que não poderia fornecer o atestado sem o documento e solicitou que a mulher fizesse um novo exame na unidade saúde, acabou agredida pela paciente, que a puxou pelos cabelos e a jogou no chão.

Segundo imagens registradas por pessoas que estavam no local, o marido também se envolveu nas agressões e também agrediu outros profissionais da unidade de saúde. Além de dar socos em Sabrina, a mulher teria batido a cabeça da médica no chão. Funcionários do centro de saúde tiveram que intervir para que a ação do casal fosse contida. Após ser levado à uma delegacia por agentes da Guarda Municipal de Novo Gama e assinar um Termo Circunstanciado de Ocorrência, o casal foi liberado.

Após o ocorrido, a Prefeitura de Novo Gama chegou a divulgar uma nota de repúdio nas redes sociais. Veja:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.