Medalha de mérito com o nome de tio de Ronaldo Caiado causa polêmica na Câmara

Proposta do vereador Paulo Daher (DEM) para dar nome de Senador Emival Ramos Caiado à homenagem não prosperou após discussões em plenário

Vereador Paulo Daher, autor da proposta,

A apreciação em plenário do Projeto de Lei que institui a Medalha de Mérito anticorrupção Senador Emival Ramos Caiado, acirrou os ânimos durante a sessão desta quarta-feira (9/8) na Câmara Municipal de Goiânia.

A proposta do vereador Dr. Paulo Daher (DEM) cria a homenagem com o nome do ex-senador que foi filiado à Aliança Renovadora Nacional (Arena), partido que deu sustentação à ditadura militar. Emival Ramos Caiado é tio do senador Ronaldo Caiado (DEM).

Segundo a vereadora Tatiana Lemos (PCdoB), o ex-senador foi apoiador da ditadura militar no Brasil e, portanto, não deveria dar nome a uma medalha de mérito. “A ditadura foi um momento cruel, negro na nossa história que não deve ser nunca esquecido. Não tenha nada contra a proposta, até apoiaria se levasse outro nome. Mas, instituir uma medalha com o nome de alguém que apoiou a ditadura no Brasil é uma afronta e um desrespeito a todos que sofreram, que tiveram familiares mortos e torturados”, afirmou.

A fala da vereadora Tatiana foi apoiada por outros colegas de plenário, como o vereador GCM Romário Policarpo (PTC). “Gostaria de solicitar ao vereador Paulo Daher que mude o nome da medalha para que possamos aprovar o projeto. Da maneira como está, não é possível apoiar”, pontuou.

Da mesma forma, Sabrina Garcêz (PMB) solicitou que Emival Ramos Caiado não desse nome à medalha. “De fato, a medalha é importante para que possamos incentivar o combate à corrupção, mas não podemos dar o símbolo dessa homenagem a um apoiador da ditadura, um momento sombrio que deixou marcas que perduram até hoje”, acrescentou.

Resposta

Às críticas, o autor da proposta respondeu que não mudará o nome da medalha e fez ataques pessoais à vereadora Tatiana Lemos.

“Tenho respeito pela senhora, mesmo fazendo parte de um partido politico e tendo toda sua família apoiando o maior corrupto de todos os tempos do nosso país, que é o nosso presidente Lula, que se Deus abençoar, até o final do ano vai ser preso […] Levei a biografia do senador Emival ao gabinete da senhora, mas não a encontrei lá. Na verdade a senhora é minha vizinha de gabinete e nunca encontrei a senhora lá”, disse Daher.

Ele reiterou que Emival Ramos Caiado “não tem nada a ver com ditadura” e que não mudará o nome da medalha.

Diante da discussão, o vereador Anselmo Pereira (PSDB) subiu à tribuna e pediu vistas do projeto, sem antes reiterar que tentaria intermediar conciliação entre o democrata e a vereadora Tatiana Lemos.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.