MDB caiadista quer partido para apoiar governo integralmente, mas simula desinteresse

Bruno peixoto, que lidera Alego, e Ernesto Roller, que está à frente da Secretaria de Governo, afirmam que não tem se envolvido em questões internas da legenda

Fotos: reprodução

Após uma semana da eleição do MDB goiano que reelegeu Daniel Vilela como presidente do diretório regional, processo marcado por ação judicial para interromper evento por conta da racha no partido – Já que parte das lideranças da sigla querem apoiar o governador Ronaldo Caiado (DEM) e parte quer ser oposição – os emedebistas caiadistas simulam um desinteresse sobre posse da legenda.

Acontece que, com Bruno Peixoto como líder do governo da Assembleia Legislativa de Goiás e Ernesto Roller como secretário de Governo, é compreensível que queiram comandar o Movimento Democrático Brasileiro goiano à apoiar Caiado por completo. Afinal, Daniel Vilela continua na oposição, apesar de já ter declarado diversas vezes que o apoio ao governador é livre.

Muito se diz, também, sobre a possível intervenção federal no diretório goiano, pois alguns caiadistas assumem que a maior parte dos membros do partido estão com o governo. Apesar disso, porém, Roller respondeu ao Jornal Opção que não tem acompanhado esse assunto. “O governo não se envolve em questão interna dos partidos”, afirmou.

Adib Elias, que tem sido o mais militante sobre o assunto, não respondeu o que o MDB caiadista fará a partir de agora. Já Bruno Peixoto acenou que está “concentrado nos projetos da Alego”.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.