Marconi diz que Centro-Oeste carrega o Brasil nas costas

Em Cuiabá, governador afirma que a região não dá trabalho para o Brasil, mas, sim, ajuda o País a superar crise

Governador recebe título cidadão matogrossense | Foto: Humberto Silva

Governador recebe título cidadão matogrossense | Foto: Humberto Silva

Em entrevista coletiva à imprensa de Cuiabá, minutos antes de receber o título de cidadania do Mato Grosso, na noite da última segunda-feira (17/10), o governador Marconi Perillo (PSDB) foi enfático na defesa de seus princípios em relação às reformas da previdência, tributária e trabalhista em estudos pela área técnica do governo federal e nas comissões afins da Câmara Federal, e também na aprovação da PEC que limita os gastos da União.

“A situação é muito séria. O Brasil, neste ano, terá um déficit de R$ 170 bilhões. Qualquer empresa teria entrado em recuperação judicial ou quebrado. O Brasil não quebrou porque emite moeda. Portanto é preciso esforço e coragem para enfrentar essas dificuldades. Mexer em alguns vespeiros significa desgaste. O governo federal vai ter que enfrentar desgastes com o nosso apoio para que o País possa de novo entrar num círculo virtuoso”, afirmou a jornalistas.

Como presidente do Fórum de Governadores do Brasil Central, a qual Mato Grosso se integra como um dos seus membros mais ativos e de peso face a força de sua economia baseada na produção agropecuária, Marconi tem reiterado que o Centro-Oeste brasileiro “literalmente carrega o Brasil nas costas”.

A afirmação, segundo Marconi explicou durante entrevista, tem como base os índices de crescimento da região e sua capacidade de enfrentar e superar os desafios, alavancando o crescimento do PIB, das exportações e gerando mais empregos do que a média nacional.

“Quando digo que a região carrega o Brasil nas costas não estou usando de uma força de expressão. É a pura realidade. Hoje, 50% das exportações brasileiras saem daqui do Brasil Central. Os empregos líquidos que a gente tem no Brasil, também são oriundos daqui. Essa é uma região que não dá trabalho para o Brasil. Ao contrário, é uma região que ajuda o Brasil”, explicou o tucano.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.