Marconi chama invasão ao Grupo Jaime Câmara de “atentado contra a liberdade de imprensa”

Gestor prestou solidariedade à empresa e repudiou “ação de radicais políticos”

Foto enviada via WhatsApp

Foto enviada via WhatsApp

O governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), emitiu nota de repúdio à invasão por grupos Sem-Terra à sede do Grupo Jaime Câmara em Goiânia, na noite da última terça-feira (8/3). No comunicado, o gestor chamou a ação de “atentado contra a liberdade de imprensa e um desserviço contra a o aprimoramento da democracia”.

No início da última noite, lotados em ao menos dois ônibus, manifestantes ligados ao Movimento Sem-Terra (MST) e a outras entidades sindicais invadiram a sede do Grupo Jaime Câmara, onde fica a filial da TV Globo no Estado, no Setor Serrinha.

Entoando gritos de guerra contra a emissora, o grupo entrou até o saguão da empresa, pichou paredes e ameaçou funcionários que deixavam o local.

Confira abaixo a nota emitida pelo governo de Goiás sobre a invasão:

O Governo de Goiás repudia, condena e lamenta a ação de radicais políticos que, na noite desta terça-feira, 8 de março, promoveram ato de puro vandalismo, sob o falso pretexto da manifestação de pensamento, contra a sede do Grupo Jaime Câmara (GJC), em Goiânia.

Os atos de vandalismo registrados são um atentado contra a liberdade de imprensa, expressão e pensamento e são um desserviço para o aprimoramento da democracia brasileira.

O Grupo Jaime Câmara tem uma história de relevantes serviços prestados à democracia e à comunicação, de Goiás e do Brasil, e esse legado é respeitado e exaltado pela população goiana e brasileira.

Manifesto minha integral solidariedade ao Grupo Jaime Câmara, seus diretores, funcionários e jornalistas e deixo o Governo de Goiás à disposição para o esclarecimento dos fatos registrados nesta data.

Marconi Perillo
Governador de Goiás

Uma resposta para “Marconi chama invasão ao Grupo Jaime Câmara de “atentado contra a liberdade de imprensa””

  1. Avatar Epaminondas disse:

    Marconi, o porto seguro no qual Dilma sempre vem para poder fazer discursos dentro de muros de contenção, “repudia”.

    Não, Sr. Governador no qual me arrependo imensamente em ter votado. O Sr. deveria investigar e prender estas pessoas. Primeiro, quem pagou pelos ônibus? Quem as uniformizou? Quem são elas? Isto tem nome e endereço e é obrigação do Estado, que cuida da segurança, descobrir e punir. Primeiro, porque depredar é crime; Segundo, para que não paire que a impunidade reina.

    Vai repudiar o que a Dilma anda fazendo para tentar chegar ao final do seu mandato!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.