Marconi assina protocolo de intenções para a produção de biogás no Estado

Acordo foi firmado com o Sindicato da indústria de Fabricação de Etanol do Estado de Goiás (Sifaeg), a Jalles Machado S/A, a Faculdade de Tecnologia de Brasília e a GTO Bioenergia e Meio Ambiente LTDA

Foto: Wagnas Cabral

Foto: Wagnas Cabral

Visando a viabilização de estudos de estudos de cunho técnico, econômico e financeiro para produção de biogás extraído de resíduos orgânicos agroindustriais, o governador Marconi Perillo (PSDB) assinou nesta segunda-feira (30/6) um protocolo de intenções com o Sindicato da indústria de Fabricação de Etanol do Estado de Goiás (Sifaeg), a Jalles Machado S/A, a Faculdade de Tecnologia de Brasília e a GTO Bioenergia e Meio Ambiente LTDA.

A atitude faz parte dos esforços do governo para que Goiás continue a despontar como matriz de energia renovável e limpa. O acordo assinado prevê a formação de um grupo de profissionais que estudará, também, propostas de incentivos fiscais necessários para a consolidação do projeto.

O presidente do Sifaeg. André Rocha, disse que Goiás tem crescido 20% a mais que todo o Nordeste brasileiro na produção de energia limpa e, que, provavelmente, deverá ser o único com crescimento de safra neste ano. Segundo estimativas, devem ser produzidos cerca de 1,5 milhão de metros cúbicos de biogás diariamente.

O diretor presidente da Jalles Machado, Otávio Lage de Siqueira Filho demonstrou entusiasmo com a assinatura do acordo e com os prognósticos. Segundo ele, a parceria tornará possível a produção considerável de biogás e colocará Goiás como exemplo aos outros estados.

Marconi pontuou que Goiás tem se aprimorado cada vez mais na produção de energia limpa e que continua a buscar parcerias como essas. “Goiás está se consolidando como um estado estratégico na produção de energia limpa no País, e o que mais nos anima é a possibilidade de substituição de uma energia fóssil por uma energia limpa. Além de agregar valor à economia, colaboramos com o meio ambiente, adotando medidas de sustentabilidade, para que possamos dar uma parcela de contribuição na redução do efeito estufa”, destacou.

O governador observou que o projeto deverá gerar empregos e divisas para Goiás. Segundo ele, o Estado agirá de forma rápida e eficiente no cumprimento do protocolo.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.