Diferença entre o governador e Iris Rezende passou de 10% para 14%. Já Weslei Garcia alcançou 5% das intenções de voto e passou o petista Antônio Gomide, com 4%

weslei marconi
Montagem

A pesquisa Ibope divulgada no final da tarde desta quinta-feira (25/9) revelou que, com 39% das intenções de voto, o governador Marconi Perillo (PSDB) aumentou levemente sua vantagem sobre os principais adversários em relação à última pesquisa, publicada no dia 10 deste mês. Agora, a diferença do tucano para Iris Rezende (PMDB) é de 14%; para Vanderlan Cardoso (PSB), de 33%; e para Antônio Gomide (PT), de 35%.

A maior surpresa desta rodada, porém, é a ascensão de Weslei Garcia (Psol) para a 4ª colocação da disputa eleitoral, superando o candidato petista. Aparecendo com 5%, o índice, caso fosse obtido anteriormente, garantiria ao socialista a possibilidade de participar de debates e sabatinas restritos aos principais candidatos. Na última aferição, Weslei não chegou a obter nem 1% das intenções de voto.

[relacionadas artigos=”16139,16162″]

Mesmo com a ampliação da vantagem do governador sobre a maioria dos candidatos, a decolagem de Weslei Garcia deve provocar segundo turno em Goiás. Graças às melhoras do índice do socialista, os candidatos da oposição somados têm agora 42%.

No geral, o comparativo entre todos os levantamentos feitos pelo Ibope é de estabilidade entre os candidatos, com pequenas subidas e descidas para cada um. Da primeira aferição, divulgada no dia 2 de agosto, para a segunda, do dia 14 de agosto, por exemplo, Marconi foi de 35% para 41%. Na terceira, de 10 de setembro, sofreu leve queda, para 38%. Agora, recuperou um ponto porcentual, despontando com 39%.

Iris subiu de 26% para 28%; manteve os 28% na terceira pesquisa; e agora caiu para 25%. Vanderlan começou com 8%, declinou para 6%, subiu para 9% e agora aparece com 6% novamente. Já Gomide tinha 6% no primeiro levantamento, caiu para 5% no segundo, chegou a 7% no terceiro, e agora tem 4%. Alexandre Magalhães (PSDC) e Marta Jane (PCB) não passaram da casa do 1%.

Até mesmo o número dos que votariam Branco ou Nulo sofreu variações. Nas duas primeiras pesquisas era 9%; foi para 5%; e agora aparece com 8%. Por outro lado, os indecisos foram os que mais se mantiveram estáveis. Começaram com 12%, caíram para 9%; e subiram para 11% no terceiro levantamento, número mantido na última pesquisa.

O Ibope ouviu 812 eleitores entre os dias 22 e 24 de setembro. A margem de erro é de três pontos percentuais, para mais ou para menos.