Ex-governador afirmou no discurso que, nas reuniões políticas, mais de “90% das pessoas” querem que ele entre no pleito

Em encontro realizado pelo PSDB em Quirinópolis, o ex-governador Marconi Perillo (PSDB) admitiu, pela primeira vez publicamente, que pode disputar o governo de Goiás. Ele afirmou no discurso que, nas reuniões políticas, mais de “90% das pessoas” querem que ele entre na disputa com o foco de debater a atual situação do estado de Goiás depois dos primeiros anos da gestão de Ronaldo Caiado (UB).

“Eu posso adiantar uma coisa: nas reuniões políticas, mais de 90% das pessoas querem que eu seja candidato a governador. Cerca de 10% querem que eu seja candidato ao Senado. Nas pesquisas de opinião pública, cerca de 17% e 20% querem que eu seja candidato ao governo e cerca de 25% querem que eu seja candidato ao Senado. Eu sou uma pessoa que não tem medo de desafios, sou competitivo e gosto de ir à luta”, disse o ex-governador.

Marconi ainda disse estar “cheio de energia e vontade, algo que nunca pensei que voltaria a ficar com a política” e fez até promessa de campanha: “A gente fez, quando eu era governador, essa estrada entre Quirinópolis até Tocozinho. Ficou faltando de Tocozinho até Castelândia. O que eu posso dizer? Se, por acaso, eu for candidato a governador e for da vontade do povo que eu me eleja, essa estrada vai ficar pronta no primeiro ano do governo. Não vai ser governo de fake, não”, discursou.

“Falaram um monte de abobrinha a meu respeito. Ninguém provou nada, porque não tem nada de errado feito. Se eu tivesse feito alguma coisa errada, a gente não teria conseguido fazer tanta coisa em Goiás”, disse Perillo sobre o arquivamento das denúncias da Operação Cash Delivery, do MPF, que chegou a leva-lo para a prisão em 2018.