Segundo presidente da Fecomércio-GO se a ideia for confirmada é um absurdo, pois verba não é pública e nada tem a ver com o governo

Foto: Divulgação

Acerca da informação de que o governo estuda redirecionar recursos do Sistema S para bancar gastos do Orçamento, o presidente da Federação do Comércio do Estado de Goiás (Fecomércio-GO), Marcelo Baiocchi, afirma se tratar, inicialmente, de especulação. “Não há fonte sobre o assunto e nenhuma posição oficial foi nos passada sobre isso”, exclamou.

Apesar disso, Baiocchi afirma que, se comprovada essa posição, trata-se de situação “inadmissível”. Marcelo trata como absurdo a possibilidade de redirecionar recursos da formação de qualificação de mão de obra e de investimentos na área social dos seus empregados, e jogar para despesa corrente.

Ele explica, inclusive, que a verba do Sistema S não é pública, mas privado com a gestão dos empresários. Além disso, ele elucida que o dinheiro sequer passa pelo orçamento da União. “O governo não tem direito de mexer”.

De volta a especulação, Baiocchi declara que a única informação que tem é do presidente Jair Bolsonaro (PSL) dizer a estudantes goianos que o visitaram – alunos responsáveis por criar chiclete para astronautas – que pediria a ao ministro da Economia, Paulo Guedes, para não cortar recursos do Sistema S. “Não passa de especulação”, reforça sobre o redirecionamento.