Manifestantes vão às ruas em defesa da Lava Jato

Mesmos grupos que pediam o impeachment de Dilma Rousseff voltam a protestar, desta vez contra a corrupção e em defesa da Lava Jato

Manifestantes em Brasília a favor da proposta das dez medidas anticorrupção | Foto: Agência Brasil

Manifestantes em Brasília a favor da proposta das dez medidas anticorrupção | Foto: Agência Brasil

As ruas de 200 cidades do Brasil voltaram a ser tomadas por manifestantes vestidos de verde e amarelo neste domingo (4/12). Em pauta, a defesa da Operação Lava Jato e do juiz federal Sérgio Moro e o repúdio às mudanças no projeto de lei anticorrupção aprovadas pela Câmara dos Deputados nesta semana. Também são alvo de repúdio dos manifestantes o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL) e o presidente da Câmara dos Deputados Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Segundo a Polícia Militar do Distrito Federal, na Esplanada dos Ministérios até as 11h15 entre 4 e 5 mil pessoas participavam pacificamente do protesto, previsto para ser encerrado às 13h. Para os organizadores, são mais 15 mil manifestantes.

Os eventos ocorrem também em pelo menos 200 cidades do país em horários diferentes. Entre os movimentos que convocaram os protestos, estão o Vem pra Rua,o Avança Brasil e o Movimento Brasil Livre (MBL). Em Goiânia, os manifestantes devem ser concentrar em frente à sede da Superintendência da Polícia Federal, no Setor Bela Vista, a partir das 15 horas.

As manifestações estão permitidas apenas no gramado da Esplanada dos Ministérios, a partir da Catedral de Brasília até a Avenida das Bandeiras, mas alguns manifestantes conseguiram chegar próximo ao espelho d’água do Congresso Nacional, onde espalharam desenhos de ratos, simbolizando, segundo eles, os políticos.

 

Em Brasília, onde os protestos começaram desde a manhã deste domingo (4/12) e seguem de maneira pacífica, a maioria dos manifestantes portava faixas contra o presidente do Congresso, senador Renan Calheiros (PMDB-AL)  e cartazes com frases como “Somos todos Sérgio Moro”, “Fora Corrupção”, “Estamos de olho: a Lava Jato não será sabotada”, “Fim do foro privilegiado” e “Pressa do julgamento de políticos no STF”.

No Rio de Janeiro, centenas de pessoas se aglomeraram nos cerca de 800 metros que separam os postos 4 e 5 da Praia de Copacabana, em manifestações contra a decisão da Câmara dos Deputados de aprovar, com alterações, a proposta de emenda à Constituição (PEC), de autoria popular e que reuniu 2,5 milhões de assinaturas, com 10 medidas de combate à corrupção.

Durante o ato, centralizado nas ruas Miguel Lemos, Xavier da Silveira, Bolívar e Barão de Ipanema, os manifestantes gritavam palavras de ordem e osgtentavam slogans em cartazes e bandeiras, entre eles “Diga não a esse absurdo. O que o povo pedia? Prisão aos corruptos! O que eles entregaram? Prisão a juízes e promotores”, “Podem até calar a Justiça, mas não podem calar a voz do povo”, além de palavras de ordem como “Fora Renan”, “Fora Maia” e “Viva Moro” e “Viva Marcelo Bretas”, em alusão aos juízes que iniciou a Lava Jata e determinou a prisão do ex-governador Sérgio Cabral.  (Com informações Agência Brasil)

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.