Manifestantes protestam contra governo Temer em Goiânia e outras 13 capitais

Atos convocados por centrais sindicais e movimentos sociais pedem a renúncia do presidente Michel Temer e a realização de eleições diretas

Manifestação fora Temer e diretas já no museu da república em Brasília | Foto Lula Marques/AGPT

Ainda no calor da divulgação do conteúdo da delação da JBS, milhares de pessoas foram às ruas em pelo menos 14 capitais brasileiras neste domingo (21/5) em atos pela renúncia do presidente Michel Temer (PMDB) e pela realização de eleições diretas.

Em Goiânia, o ato foi relativamente menor do que o realizado na última quinta-feira (19), quando uma motorista avançou com o carro contra a manifestação e os participantes do ato depredaram o veículo.

Neste domingo, o protesto organizado pela  Central Única dos Trabalhadores em Goiás (CUT-GO), Central dos Trabalhadores do Brasil (CTB) e pela Frente Brasil Popular (FBP), ocorreu de maneira pacífica na Praça do Trabalhador, no Setor Central entre as 10 horas da manhã e 13 horas da tarde.

Manifestantes ligados a centrais sindicais e a movimentos sociais se reuniram também em diversas cidades do país. No Rio de Janeiro, em Brasília e no Recife os protestos tiveram pouca adesão na manhã deste domingo. Em Porto Alegre, o ato foi cancelado em razão do mau tempo.

Já os atos em Belo Horizonte, São Paulo e Fortaleza tiveram uma adesão maior, com a participação de centenas e até milhares de pessoas. As policias locais não divulgaram número oficial de manifestantes, mas registram que atos transcorreram de forma pacífica.

Também aconteceram manifestações em Curitiba (PR), Belém (PA), Campo Grande (MS), Manaus (AM), Salvador (BA), São Luís (MA) e Natal (RN).

As manifestações foram motivadas pela delação premiada dos empresários Joesley e Wesley Batista, donos da JBS que implicam diretamente o presidente Michel Temer. No último sábado, Temer fez um pronunciamento no qual voltou a falar que segue na Presidência da República e pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF) a suspensão do inquérito que o investiga.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.