Manifestação contra reajuste da tarifa de ônibus tem mais de 2 mil confirmados

Com concentração na Praça Universitária, protesto está marcado para a próxima sexta-feira (20) às 16h30. Evento no Facebook quer “Volta Para Rua”

Reprodução/Facebook

Reprodução/Facebook

Está marcada para a próxima sexta-feira (16/2) a primeira manifestação contra o aumento da tarifa de ônibus na região metropolitana de Goiânia. Na página do evento, no Facebook, mais de 2 mil pessoas já confirmaram presença no ato.

Com concentração na Praça Universitária, o início do protesto está previsto para as 16h30. “Este movimento é pacífico e apartidário. Não aceitaremos violência ou quebradeira no decorrer da passeata”, diz a definição do evento.

Também está marcada para esta terça-feira (17) uma reunião organizada pela Frente de Luta-GO para tratar do tema e elaborar uma possível agenda de manifestações. O grupo foi responsável pela organização de grande parte dos protestos contra o aumento do valor da passagem no último ano.

“Se você não aceita esse aumento e está interessado em lutar contra esse abuso, chame seu amigos e vizinhos, e venham ajudar a construir a luta contra a máfia do transporte”, diz uma publicação na página do grupo no Facebook.

A Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos (CMTC) anunciou o reajuste tarifário no início da tarde da última sexta-feira. A passagem de ônibus, que antes custava R$ 2,80, passou a custar R$ 3,30, um aumento de quase 18%.

Conforme levantamento feito pelo Jornal Opção Online, o preço cobrado em Goiânia passou a ser o terceiro maior do país. A capital fica atrás apenas do Rio de Janeiro (R$ 3,40) e São Paulo (R$ 3,50).

4
Deixe um comentário

2 Comment threads
2 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
3 Comment authors
Charles Alves Bento

Se acabar com as fraudes de carteirinhas de terceiros, ficaria em 3;00 reais o máximo .

Fernanda Azevedo

Fraudes de carteirinhas de terceiros? Mesmo que muitos usuários passassem carteirinhas que não fossem suas e que lhes oferecessem alguma gratuidade (passe livre, idoso) o governo estadual paga um subsídio às empresas para cobrir tal gratuidade. Mesmo que muita gente estivesse passando (o que não é o caso, já que as viagens são limitadas e que você só pode passar uma vez no mesmo ônibus), as empresas não perdem dinheiro com isso. Em vez de culpar a a população por esse aumento abusivo, que tal atribuir a culpa à verdadeira responsável, a ânsia por lucro dos dirigentes da RMTC?

Luh Kelly

Eu acho que o protesto deveria ser devido o aumento dos combustíveis…. já q o reajuste acaba prejudicando as empresas do transporte coletivo

Fernanda Azevedo

Boa parte do preço da diesel é composto por um imposto estadual chamado ICMS, imposto que as empresas de transporte coletivo da grande Goiânia são desoneradas em 100%. O aumento do diesel foi de 5% e o da passagem 18%, você acha mesmo que o reajuste é o responsável? Acredito sim que ele pode ter um impacto no aumento, mas a justificativa que as empresas de ônibus usaram é que o governo estadual não está pagando o subsídio da gratuidade de parte das passagens (passe livre por exemplo), embora eles não tenham liberado nenhuma planilha de gastos e lucros e… Leia mais