Mais três cidades do interior recebem o sistema de monitoramento eletrônico de detentos

Tornozeleiras funcionam por meio de GPS e o GPRS, que fornecem a georreferência do custodiado. Próxima região a receber o sistema é a do Entorno do Distrito Federal

O sistema de monitoramento de detentos por meio da instalação de tornozeleiras eletrônicas será ampliado agora para outras regiões de Goiás. O sistema, que já havia sido implantado na Região Metropolitana de Goiânia e também em Itumbiara, agora irá beneficiar também os municípios de Morrinhos, Caldas Novas e Piracanjuba. A escolha das cidades foi feita por meio de análise da Secretaria de Administração Penitenciária e Justiça de Goiás (Sapejus), sobre as regiões que apresentam os maiores índices de criminalidade no Estado.

Segundo o gerente de Monitoramento Eletrônico e Fiscalização da Sapejus, Weber de Paula Oliveira, a principal vantagem das tornozeleiras é que a fiscalização de presos, que antes estavam nas ruas sem nenhum tipo de acompanhamento, agora poderá ser feita por meio desse sistema eletrônico. “Nós poderemos assim fiscalizá-los indiretamente, por meio de nossa Central de Comando, que fica em Goiânia”, explica o gerente.

Ainda de acordo Weber de Paula, a ampliação do sistema significa mais segurança para a sociedade. “Isso porque o dispositivo causa inibição ao indivíduo no sentido de cometer novos crimes, e também porque a nossa gerência participa da Rede Integrada de Segurança Pública (Risp), lançada recentemente em Goiás”, disse.

Weber de Paula salienta que o Poder Executivo apenas disponibiliza ao Poder Judiciário o dispositivo de segurança, mas quem define qual preso irá utilizá-la e por quanto tempo ele irá fazê-lo é sempre o magistrado responsável pela execução penal daquele custodiado.

O dispositivo funciona basicamente por meio de dois sistemas, o GPS,  via satélite, que fornece a georreferência do custodiado, e também pelo GPRS que, por meio de dois chips de telefonia celular que o dispositivo contém, também permite verificar a localização do detento.

Atualmente 1.035 pessoas utilizam a tornozeleira eletrônica na Região Metropolitana de Goiânia e outras 500 estão sendo instaladas em detentos no interior do Estado. O gerente Weber de Paula assegurou que a próxima região a receber o sistema é a do Entorno do Distrito Federal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.