Mais de 100 estudiosos em Aids morreram com a queda do Boeing 777 da Malaysia Airlines

“O movimento HIV/Aids perdeu um gigante”, lamenta o presidente da sociedade Internacional de combate à doença

dentro do texto

Joep Lange ex-presidente da Sociedade Internacional de Aids| Foto : Divulgação

A queda do avião da empresa Malaysia Airlines que caiu na Ucrânia e causou a morte de 298 pessoas, nesta quinta-feira (17/7), trouxe uma triste notícia para o mundo da ciência. O voo estava levando 108 especialista em HIV para participar da 20ª Conferência Mundial de Aids em Melbourne, na Austrália. Dentre os mortos estava o ex-presidente da Sociedade Internacional de Aids, Joep Lange.

Atualmente Joep atuava como diretor do Departamento de Saúde do Centro Acadêmico de Medicina da Universidade de Amsterdã. Recentemente, o pesquisador divulgou um estudo que demonstra, pela primeira vez, como um composto probiótico poderia atuar no vírus HIV.

O ex- presidente contribuiu no desenvolvimento de terapias combinadas a preços acessíveis, e em meios de prevenir a transmissão do vírus de HIV da mãe para o bebê. Em 2001, ele criou a PharmAccess ,uma organização sem lucros que tinha como objetivo melhorar o acesso aos medicamentos e tratamentos da Aids em países pobres.

Joep nunca aceitava algo como impossível, é o que afirma o professor da Universidade de New South Wales David Cooper, em Sidney. E relembra que Lange tinha um compromisso absoluto com a pesquisa contra a doença e dava atenção especial aos países da Ásia e África.

Os organizados da conferência expressaram suas condolências pela morte dos pesquisadores e afirmou que irá cooperar com as autoridades. “Em reconhecimento à dedicação dos nossos parceiros na luta contra a Aids, a conferência vai continuar como planejado e vai incluir oportunidades para refletir e lembrar aqueles que perdemos”, afirmou em nota. O atual presidente da Sociedade Internacional de Aids, Chris Beyrer, lamenta a morte de Joep: “o movimento HIV/Aids perdeu um gigante”, disse.

Deixe um comentário