Mais da metade do continente europeu deve se contaminar com ômicron até março, prevê OMS

Diretor da OMS na Europa, Hans Kluge, teme sobrecarga no sistema de saúde e avalia que taxa de mortalidade deve ser maior onde índice de imunização for mais baixo

Em declaração realizada nesta terça-feira, 11, o diretor da Organização Mundial da Saúde (OMS) na Europa, Hans Kluge, afirmou que mais da metade do continente provavelmente irá se contaminar com a variante ômicron da Covid-19 até março deste ano. Ele relembra que só na primeira semana de janeiro, a Europa registrou novos 7 milhões de casos da variante, o dobro do que foi registrado 15 dias antes.

“Nesse ritmo, mais de 50% da população regional será infectada com ômicron nas próximas 6 a 8 semanas. A escala de transmissão é inédita”, diz Kluge, ao pontuar que a variante foi relatada em 50 dos 53 países europeus. Além da tendência a se tornar dominante na Europa Ocidental, se prevê que a ômicron logo também seja predominante na região dos Bálcãs.

Ele ainda avaliou que, com a ômicron, a taxa de mortalidade deve ser maior onde o índice de imunização é mais baixo. Ele chegou a exemplificar a Dinamarca, onde as taxas de hospitalização para pacientes não vacinados, durante a semana do natal, foi seis vezes maior que para aqueles que tomaram pelo menos as duas doses do imunizante.

No entanto, mesmo com a vacina, com o avanço da variante, o temor pela sobercarga dos sistemas de saúde é grande. “Os países que ainda não enfrentam o avanço da ômicron têm uma janela de oportunidade para agir agora”, acrescenta Kluge, ao se referir a intensificação das medidas de combate à doença.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.