Maioria dos vereadores de Rio Verde votará contra alterações na gestão da Unirv proposta pelo prefeito 

Vereadores afirmam que alteração coloca universidade em risco, abrindo precedentes para uso de verbas da instituição para outros fins distintos dos originais

Foto: Reprodução

O encontro parlamentar na Câmara Municipal de Rio Verde, na última quinta-feira, 22, foi acalourado. Marcado pela presença de diversos estudantes e servidores ligados à Universidade de Rio Verde (Unirv) que ocuparam as galerias, a reunião também contou também com outro fator atípico: 12 parlamentares declararam que votarão contra o prefeito Paulo do Vale (MDB) — a Casa conta com o total de 21 vereadores, incluindo o presidente.

Acontece que o Executivo encaminhou à Câmara um projeto que reorganiza a administração pública, alterando os moldes de gestão da Universidade de Rio Verde. A medida é tida como preocupante pelos parlamentares da Casa. Membros da oposição afirmam que a matéria coloca a universidade em risco, abrindo precedentes para uso de verbas da instituição para outros fins distintos dos originais.

À reportagem, o vereador Cabo Moraes explicou que a matéria ainda se encontra na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). “O próprio relator [vereador Casa Grande] é contrário a matéria. Vamos aguardar a manifestação do prefeito. Mas ele sabe que se colocar em pauta iremos derrubar esse projeto. Vamos esperar pela reação do Executivo”, disse.

Por sua vez, a vereadora Lucia Batista considerou a manifestação ocorrida na última quinta-feira como um “momento histórico”. “Foi uma sessão atípica. A população resolveu agir diante dos atos do prefeito. Esse projeto está dentro de uma reforma administrativa do município então continuaremos atento e acompanhando a movimentação do processo”.

Na interpretação da parlamentar, Paulo do Vale estava com “excesso de confiança” em relação a aprovação do processo legislativo. “Ele achou que ninguém votaria contra. Foi uma derrota humilhante aqui no Parlamento. O reitor, ao falar, foi ovacionado pelo público. Sem contar que 12 parlamentares manifestaram seus votos contrários a esta matéria. Nós [oposição] temos nossa independência, mas os parlamentares da base tiveram muita coragem para ficar do lado do povo e não apoiar essa medida do Executivo. Vai haver retaliação e eles vão sofrer por isso, mas ainda assim eles vão votar pelo bem do povo”, disparou.

Segundo Lúcia, os manifestantes ligados à universidade deverão continuar ocupando as dependências da Casa ao longo das próximas semanas. A ideia é acompanhar de perto a tramitação do processo e pressionar a Casa a votar pela sua derrubada.  Veja a movimentação da tarde de ontem:

A prefeitura do município de Rio Verde foi procurada pela reportagem. No entanto, até a publicação deste material não obtivemos retorno. A matéria será atualizada assim que o Executivo se manifestar.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.