Maior dívida do Piquiras é com duas instituições financeiras

Segundo apurou o Jornal Opção Online, um é banco público e o outro é privado. No total, o grupo goianiense tem R$ 17,6 milhões a pagar com credores

Fachada do restaurante Piquiras do Flamboyant, o mais novo do grupo | Foto: Reprodução/Site

Fachada do restaurante Piquiras do Flamboyant, o mais novo do grupo | Foto: Reprodução/Site

Os maiores credores do Empório Piquiras Ltda e Outros são duas instituições financeiras: uma pública e outra privada. A Master Auditores, empresa contratada para avaliar a situação do grupo, não divulgou nomes para evitar atrapalhar futuras negociações. Os outros são fornecedores de matérias-primas. O porcentual das dívidas não foi informado.

O grupo Piquiras entrou com pedido de recuperação judicial no último dia 28 de agosto. A Master Auditores tem prazo de 60 dias para elaborar plano de ação e apresentá-lo aos credores. O relatório da situação da empresa será mostrado em assembleia geral no início de 2016, sem data marcada.

Segundo Agnaldo Pacheco, consultor financeiro, o pedido aguarda protocolo de confirmação do juiz da 7ª Vara Cível, Ricardo Teixeira Lemos. “Ele homologa e a empresa cumpre o que está estabelecido no plano de ações com propostas de pagamento para bancos e fornecedores.”

Ressaltando que o grupo tem marca forte, o consultor diz que, apesar do processo, os pontos de atendimento continuam abertos aos clientes. “Nesse momento de descompasso no caixa temos de colocar o endividamento de forma pagável, efetivamente para recuperar. A situação difícil não é inerente somente ao Piquiras, mas a todo o setor de bar e restaurante. Estamos bem estruturados para sair do processo”, avaliou.

A empresa tem 30 anos de existência e conta com 300 colaboradores.

No processo protocolado na 7ª Vara Cível consta que a ação judicial atual é de R$ 10 mil — o valor é uma quantia meramente estimativa para fins fiscais. Até a manhã desta terça-feira (1º/9), o pedido estava sendo “encaminhado à escrivania”.

Parcelamento

Conforme apurou o Jornal Opção Online, quem está mais próximo da empresa neste momento é Tiago Zotarelli, também em nome da Master. Ele é o responsável pelo levantamento das contas dos cinco estabelecimentos do Piquiras espalhados pela capital e confirma que o faturamento do grupo registrou queda.

“Ainda não temos o deferimento [do juiz] e a gente só começou a analisar. Essa primeira fase é para juntar documentos. Nos próximos dias teremos o número do faturamento e de despesa das unidades, que é a base para fazer o plano e, assim, saber sua viabilidade.”

Ele afirma estar realizando estudo de caixa, mas não há como prospectar valores até o momento. Para isso, pretende-se captar o faturamento deste ano. O efeito do processo é o parcelamento da dívida com os credores.

4 respostas para “Maior dívida do Piquiras é com duas instituições financeiras”

  1. Avatar Luiz Chein disse:

    Lamentável. Uma marca como a do Piquiras, tida como sólida, enfrentar uma situação desconfortável como essa, é preocupante. E quando isso acontece, não há outra explicação que não passe pela ideia de gestão equivocada. Daí, me reporto às palavras de um economista: “Quem tem e põe, faz um monte; quem não tem e tira, faz um buraco”. Simples assim: despesa maior que receita.

  2. Avatar Alan Monteiro disse:

    Isso é resultado de má administração…

  3. Avatar Médicogyn disse:

    Não adianta, querer vender coisas só para supostos ricos, coloca um preço mais acessivel, que todos compram, consume…etc!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.