Maior desastre natural do século, tsunami do sul da Ásia completa dez anos

Nos países atingidos pelo maremoto, serão realizadas cerimônias para homenagear as mais de 220 mil vítimas da catástrofe

Foto: ( Arquivo) AUSAID / Fotos Públicas

Foto: ( Arquivo) AUSAID / Fotos Públicas

O tsunami do sul da Ásia que varreu a costa de 14 países banhados pelo Oceano Índico e matou mais de  220 mil pessoas completa dez anos nesta sexta-feira (26/12). O maremoto é considerado o maior desastre natural do último século.

O tsunami foi causado por um terremoto de magnitude 9,1 na escala Richter – o terceiro maior abalo sísmico já registrado em um sismógrafo – com o epicentro na costa oeste de Sumatra, na Indonésia. As consequências foram muitas e são sentidas até hoje pela população dos locais atingidos.

Na região atingida, esta sexta (26) começou com cerimônias para relembrar o desastre natural. Na Indonésia , milhares de pessoas participaram de uma homenagem às vítimas do tsunami. Uma série de celebrações para lembrar os mortos na catástrofe está prevista para ocorrer em todos os países afetados.

Parentes das vítimas e sobreviventes reuniram-se em oração na mesquita de Baiturrahman, em Banda Aceh, capital da região de Aceh, no norte da Ilha de Sumatra. Essa foi a área mais afetada, com cerca de 170 mil vítimas.

A mesquita foi uma das poucas construções que se manteve de pé e serviu como refúgio para as pessoas nos dias posteriores ao desastre natural. O governador de Aceh, Zaini Abdullah, fez um agradecimento aos participantes, tanto locais quanto estrangeiros, quando chegou à mesquita.

“O tsunami causou profunda dor ao povo de Aceh pela perda de entes queridos. A simpatia dos indonésias e da comunidade internacional ajudou (Aceh) a se recuperar”, disse Zaini.

As cerimônias que marcam os dez anos do tsunami em Aceh incluem exposições fotográficas no Museu do Tsunami, mostras de artesanato e terminam no próximo sábado (27), com uma corrida de dez quilômetros ao longo das áreas que mais sofreram o embate das ondas.

A catástrofe causada pelo tsunami vai ser lembrada em mais 14 países em que o desastre natural provocou mortes, como na Tailândia. Em Khao Lak, popular destino turístico da Tailândia, o décimo aniversário do tsunami vai ser marcado por leitura de poesia, velas e orações em homenagem às vítimas.

O tsunami deixou cerca de 5.4 mil mortos e 2.8 mil desaparecidos na Tailândia, a maioria turistas estrangeiros que passavam férias de Natal. Outras cerimônias serão feitas na Índia e no Sri Lanka, que juntamente com a Indonésia e Tailândia, foram os mais afetados em número de mortos.

Solidariedade

Os dez anos do tsunami também marcam a união de várias nações para oferecer ajuda aos países afetados. Depois da passagem do maremoto, foi implementado um grande programa de assistência internacional e aproximadamente U$ 7 bilhões de ajuda de outros países foram alocados nos anos que se seguiram.

Na província indonésia de Aceh, a mais afetada, cerca de 140 mil casas, estradas, escolas e centros de saúde foram reconstruídos. Apenas nessa região foram contabilizados mais de 127 mil mortos, 93 mil desaparecidos, 635 mil desalojados e uma área de destruição equivalente a 45 campos de futebol.

Para a ministra do Turismo e das Indústrias Criativas da Indonésia, Mari Elka Pangestu, a destruição causada pelo tsunami na Banda Aceh, na ilha de Sumatra, foi “enorme”, mas permitiu duas grandes conquistas no processo de reconstrução: a paz na região e a aposta no turismo. Segundo ela, as autoridades indonésias procuraram não só avançar com o processo de reconstrução física, mas também identificar novas formas de desenvolvimento econômico.

O renascimento da Província de Aceh foi beneficiado pela ajuda internacional e pelo fim de um conflito armado de quase três décadas entre separatistas e forças governamentais. Um acordo de paz foi concluído menos de um ano após o desastre natural.

Na Tailândia, o turismo também foi incentivado. De acordo com a ministra do Turismo e Desporto da Tailândia, Kobkarn Wattanavrangkul, um ano após o tsunami residentes e turistas recuperaram a confiança no destino, especialmente em Phuket. O maremoto atingiu a costa das províncias de Krabi, Phang-nga, Phuket, Ranong, Satun e Trang, no sul da Tailândia, causando a morte de mais de cinco mil pessoas naquele país.

*Com informações da Agência Brasil

Deixe um comentário