Maguito e Vanderlan levam disputa pela prefeitura de Goiânia ao segundo turno

Com 70% das urnas apuradas, Maguito registra 35,59% dos votos e Vanderlan 24,90%

Com quase 70% dos votos apurados em Goiânia, o eleitor deverá retornar às urnas para decidir quem será o próximo prefeito da capital após uma disputa em segundo turno.

Já é possível afirmar que a briga entre Maguito Vilela (MBD) e Vanderlan Cardoso (PSD) se estenderá até o próximo dia 29 de novembro, haja vista que, até o momento, as urnas apontam para 35,59% Maguito e 24,90% para Vanderlan.

O favoritismo entre ambos os nomes segue acirrado e confirma as últimas pesquisas que apontavam para um empate técnico entre os líderes.

No entrave pelo comando da maior cidade e capital de Goiás, o emedebista Maguito Vilela tem como vice o vereador Rogério Cruz (Republicanos) e encabeça a coligação Pra Goiânia Seguir em Frente.

O candidato promete dar continuidade ao legado do atual prefeito, Iris Rezende. Se eleito, diz que irá concluir todas as obras deixadas pelo antecessor, além de ampliar gradativamente as vagas de emprego na capital e incentivar empresas que possuem programas de inserção da pessoa com deficiência.

Do outro lado está o senador Vanderlan Cardoso que tem como braço direito na disputa o ex-senador e ex-secretário de Indústria e Comércio do governo Ronaldo Caiado (DEM), Wilder Morais (PSC). Ambos lideram a chapa Goiânia em um Novo Momento, apoiada pelo governador do Estado.

O candidato, assim como seu principal adversário, também reconhece a importância de se concluir as obras da gestão atual, porém, traz consigo a promessa de resgatar a autoestima do povo goianiense através de uma nova gestão que será tida, segundo ele, como exemplo para todo o País. Vanderlan também é defensor de uma política de geração de empregos e incentivo às empresas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.