Mãe garante que criminoso bonito não participa de gangues

Agora, depois do sucesso da fotografia de Jeremy Meeks, a mãe informou à imprensa ao que seu filho é um “homem trabalhador e inocente”

Depois do sucesso abissal com sua foto no momento da prisão, e ganhar o apelido de “detento gato”, o retrato do norte-americano Jeremy Meeks virou sensação instantânea na web. A sua fotografia foi compartilhada no Facebook da polícia de Stockton, e em questão de minutos tornou-se viral. Mulheres e homens do mundo inteiro elogiaram o rosto do homem.

unnamed (4)

Agora, depois do sucesso da fotografia de Jeremy Meeks, a mãe do homem de 30 anos disse ao jornal The independent que seu filho é um “homem trabalhador, inocente”, e que não pertence a nenhuma gangue. A mãe Katherine Angier pediu para que as pessoas ajudassem a garantir um julgamento justo para seu filho.

Jeremy Meeks foi preso em uma operação do FBI para coibir a violência em Stockton, uma cidade da Califórnia, que declarou falência há dois anos.

A mãe considera que Jeremy foi estereotipado por ter muitas tatuagens. Entretanto, abriu um pedido de crowdfunding para angariar dinheiro para pagar fiança de um milhão de dólares. Casado e com um filho, a família garante que há muito que Jeremy Meeks deixou a vida de gangue.

No Brasil houve alguns casos semelhantes, como o de Guilherme Leão, que ficou conhecido como o “segurança gato” do metrô de São Paulo. O de Isaac Deyson, um rapaz de 22 anos que estudou engenharia civil, mas que não completou o curso e trabalha como coveiro em um cemitério na capital paulista. Outro caso que ganhou repercussão no país foi o do “mendigo gato de Curitiba”, que na verdade se chama Rafael Nunes, o caso ganhou destaque na imprensa depois que uma foto dele foi publicada no Facebook, quando o jovem ainda morava nas ruas.

 

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.