Maduro toma posse e destaca legitimidade das eleições na Venezuela

Brasil e outros 13 países não reconhecem resultado da eleição no país

Reeleito para mais seis anos de mandato (2019-2025), o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, 55 anos, assumiu nesta quinta-feira (24/5) e fez o juramento de posse, na Assembleia Nacional Constituinte (ANC), antecipando a cerimônia prevista para janeiro.

Maduro foi reeleito no domingo passado ao receber 6.224.040 votos dos 9.132.655 de venezuelanos que participaram das votações, 46,02% do censo eleitoral em um pleito com a menor participação da história do país.

“Assim podemos dizer que tivemos eleições legais, justas, legítimas e por isso entrego minhas credenciais à vontade popular”, afirmou o presidente reeleito.

A reeleição de Maduro é alvo de contestação interna, por parte de oposicionistas, e externa, pois vários países, incluindo o Brasil, questionam a legitimidade do processo eleitoral. Em nota, o Brasil levantou dúvidas sobre o resultado das eleições.

O governo do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou sanções econômicas à Venezuela por discordar do processo eleitoral e da reeleição de Maduro. Trump expulsou os diplomatas venezuelanos do território norte-americano. Maduro reagiu, fazendo o mesmo com os diplomatas norte-americanos na Venzuela.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.