Madre Teresa de Calcutá é canonizada e se torna santa

Cerimônia reuniu cerca de 120 mil pessoas no Vaticano para celebrar religiosa, a quem são atribuídos dois milagres

| Foto: UN Photo/B Lane

Foto: UN Photo/B Lane

A freira Madre Teresa de Calcutá foi canonizada neste domingo (4) e agora é a mais nova santa da Igreja Católica. No Vaticano, a cerimônia reuniu cerca de 120 mil pessoas em frente à Basílica de São Pedro.

O papa Francisco, que celebrou a cerimônia, disse que Madre Teresa era um exemplo da entrega da Igreja aos pobres e desfavorecidos. “Madre Teresa, ao longo de toda a sua existência, foi uma dispensadora generosa da misericórdia divina, fazendo-se disponível a todos, por meio do acolhimento e da defesa da vida humana, dos nascituros e daqueles abandonados e descartados”, enalteceu ele.

Madre Teresa foi canonizada porque são atribuídos à ela dois milagres. O segundo, inclusive, envolve um brasileiro. Marcílio Haddad, que vive em Santos (SP) foi diagnosticado com hidrocefalia e infecção cerebral. Ele só teria sido curado depois que sua família rezou para a agora santa.

Além do caso do brasileiro, também acredita-se que uma indiana chamada Monica Bersa conseguiu se curar de um tumor no estômago graças às orações de Madre Teresa.

Nascida Agnes Gonxha na antiga Iugoslávia, Madre Teresa se tornou feita na Índia, aos 16 anos, e, em 1946, decidiu deixar o convento para atuar em comunidades carentes e fundar a congregação Missionárias da Caridade. Ela foi beatificada ainda em vida pelo papa João Paulo II e morreu em 1997.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.