Mabel alerta sobre riscos de interferência do governo na Petrobras

Para o presidente da Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg), a preocupação do presidente Jair Bolsonaro com os sucessivos aumentos no preço do combustível é legítima, mas o caminho adotado não é o mais adequado

Presidente da Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg), Sandro Mabel | Foto: Alex Malheiros

O presidente da Federação das Indústrias do Estado de Goiás (Fieg), Sandro Mabel, usou as redes sociais para fazer alerta sobre os riscos da interferência do executivo federal na Petrobras. “Vejo com preocupação a intervenção do governo na Petrobrás. É legítima a aflição do presidente Bolsonaro com a alta dos preços do combustível, mas esse não é o caminho adequado” escreveu Sandro.

Em Goiânia, após a sequência de altas anunciadas nos últimos dias, o preço da gasolina já chega nos postos a R$ 5,49 e do etanol a R$ 3,89. É o quarto reajuste da gasolina e o terceiro do diesel em 2021. Desde janeiro, o preço da gasolina acumulou alta de 34,7%..

“Não só o presidente se aflige com a alta dos combustíveis. O setor produtivo e a população de modo geral sofre com esse descontrole, mas a solução tem ser outra”, diz.

A interferência, segundo ele, gera insegurança na economia e desconfiança nos investidores no Brasil e no mundo. Sandro defende que o presidente não se afaste da agenda liberal e não ceda às tentações populistas, que não deram certo num passado recente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.