Lula é empossado como ministro-chefe da Casa Civil

Desde cedo, manifestantes contrários e a favor da posse do ex-presidente se concentravam em frente ao Congresso Nacional

Presidente Dilma Rousseff durante cerimônia de posse dos novos Ministros de Estado Chefe da Casa Civil, Luiz Inácio Lula da Silva; da Justiça, Eugênio Aragão; da Secretaria de Aviação Civil, Mauro Lopes e do Chefe de Gabinete Pessoal da Presidenta da República, Jaques Wagner | Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

Presidente Dilma Rousseff durante cerimônia de posse dos novos Ministros de Estado Chefe da Casa Civil, Luiz Inácio Lula da Silva | Foto: Roberto Stuckert Filho/PR

Desde as primeiras horas da manhã desta quinta-feira (17/3), policiais militares reforçavam a segurança em frente ao Congresso Nacional para a cerimônia de posse do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva como ministro-chefe da Casa Civil.

Quando Lula e Dilma chegaram ao Salão Nobre no Palácio do Planalto, foram ovacionados pelos convidados, em sua maioria composta por representantes de movimentos sociais e sindicalistas. Eles gritaram “Lula lá” e “Não vai ter golpe”.

Porém, depois das assinaturas e antes de iniciar seu discurso, Dilma Rousseff foi muito vaiada por manifestantes que se encontravam do lado de fora de onde ocorria a cerimônia de posse. Quando finalmente pôde discursar, a presidente frisou “Muito bom dia a todos os brasileiros e brasileiras de coragem que estão dentro desta sala”.

A cerimônia também deu posse a Eugênio Aragão, que assume o ministério da Justiça, Mauro Lopes (PMDB), que assume a secretaria da Aviação Civil e o ex-ministro da Casa Civil, Jaques Wagner, que assume a chefia do gabinete pessoal da Presidência da República.

Dezenas de manifestantes contrários a posse do ex-presidente Luiz Inácio da Silva como ministro-chefe da Casa Civil cruzam o gramado do Congresso Nacional neste momento em direção ao Palácio do Planalto, onde também há um grupo a favor da posse.

Os manifestantes contrários a nomeação de Lula estão em sua maioria vestidos e preto ou de amarelo. A segurança em frente a Câmara e ao Senado foi reforçada por policiais militares que impedem o acesso de manifestantes aos prédios.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.