Lula aceita convite de Dilma e é o novo ministro da Casa Civil

Ex-presidente atuará na articulação política de Dilma para tentar impedir impeachment. Oposição o acusa de querer obstruir Justiça com foro privilegiado

lula-dilma

Lula é anunciado como novo ministro da Casa Civil; Jaques Wagner assume a chefia de gabinete

O líder do PT na Câmara, deputado Afonso Florence (BA), anunciou há pouco que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva vai assumir a Casa Civil da Presidência da República, no lugar de Jaques Wagner. A informação também foi confirmada pelo vice-presidente do PT nacional, deputado José Guimarães (CE).

Nos últimos dias, muito se especulou sobre a possibilidade de o ex-presidente Lula assumir um ministério no governo Dilma. Após uma articulação para que o petista fosse ministro-chefe da Secretaria-Geral de Governo, Lula ocupará o cargo de ministro da Casa Civil. É a primeira vez que um ex-presidente da República vai virar ministro.

O anúncio veio depois de uma reunião entre o ex-presidente e Dilma na manhã desta quarta-feira (16/3) no Palácio da Alvorada. também participaram da reunião o atual ministro da Casa Civil, Jaques Wagner, o da Fazenda, Nelson Barbosa, e da Educação, Aloizio Mercadante.

Na tarde da última terça-feira (15/3), o petista se encontrou com a presidente para colocar suas condições e discutir se aceitava a proposta em uma reunião que durou mais de quatro horas e terminou sem nenhum anúncio.

A possibilidade era vista com revolta pela oposição, que acusa Dilma e Lula de tentar obstruir a Justiça. Na prática, Lula tentará obter foro privilegiado com o novo cargo e, assim, o processo contra ele sairia das mãos do juiz Sergio Moro e iria para o Supremo Tribunal Federal (STF). Membros do PT acreditam, no entanto, que o julgamento pelo órgão maior da Justiça brasileira seria mais isento que pelo responsável pelas investigações da Operação Lava Jato.

O argumento oficial é de que a principal função de Lula como ministro é ajudar na articulação da presidente, para conseguir recuperar governabilidade e impedir que o processo de impeachment siga adiante. É justamente por isso que o ex-presidente assumiria a Secretaria de Governo, responsável pela conversa entre o PT e os demais partidos do Congresso.

Com o anúncio, Ricardo Berzoini, que até então era o ministro da pasta, assume a secretaria executiva da Secretaria de Governo da Presidência. A possibilidade já havia sido sinalizada anteriormente por Berzoini.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.