Luiz Fux elogia trabalho do relator, mas vota contra

Ao enaltecer agilidade do ministro Edson Fachin ao apresentar um parecer extenso em prazo curto, Fux diz que relator ignorou preceitos legais

Luiz Fux até reconhece trabalho de Fachin, mas não segue relator | Foto: STF

Luiz Fux até reconhece trabalho de Fachin, mas não segue relator | Foto: STF

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luiz Fux começou a ler o seu voto no processo que discute o rito do processo de impeachment aberto pelo presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (PMDB-RJ) com elogios ao trabalho ágil em curto período de tempo feito pelo relator do processo, o ministro Edson Fachin.

Mas o voto de Fux, na tarde desta quinta-feira (17/12), foi contrário ao relatório de Fachin. Luiz Fux é o quarto ministro a discordar do relator. Assim como os ministros Luís Roberto Barroso, Teori Zavascki e Rosa Weber, ele afirmou que o rito deve seguir o que ficou definido no processo de impeachment de Fernando Collor em 1992.

Para Fux, não há espaço para votação secreta nem formação de uma comissão especial de impeachment na Câmara a partir de uma chapa avulsa.

Nesse momento, o ministro Dias Toffoli lê o seu voto, o primeiro ministro a concordar com o relatório de Fachin, a favor da abertura do processo de impeachment como aconteceu até então na Câmara.

Deixe um comentário