Lúcio Flávio diz que honorários de previdenciários “não estão em discussão”

Presidente da Ordem negou que tenha defendido redução salarial, mas afirmou que pretende debater o assunto, já que valores cobrados motivam diversas ações judiciais

Presidente da OAB-GO, Lúcio Flávio de Paiva

Presidente da OAB se viu envolto em polêmica por ter supostamente defendido redução salarial; Ele nega | Foto: Renan Accioly/ Jornal Opção

O presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) – Seção Goiás, Lúcio Flávio de Paiva, comentou, nessa quinta-feira (19/8), a polêmica envolvendo os honorários dos advogados previdenciários. Segundo ele, o assunto não está oficialmente em discussão, mas há sim uma preocupação em conter os constantes processos sofridos pelos profissionais da área.

“Existe, sim, uma preocupação pessoal minha com o constante ataque que a advocacia previdenciária tem sofrido, principalmente por parte do Ministério Público, com ações questionando o valor dos honorários”, explicou. “Jamais reduzir, alterar, em hipótese alguma. Por isso, determinei à Comissão de Direito Previdenciário que pautasse uma reunião para que eu fosse até os previdenciários discutir essa questão dos honorários”.

Lúcio Flávio disse, ainda, que a polêmica saiu de uma má-interpretação da sua intenção de debater a questão. “O que aconteceu foi uma deturpação de alguma informação do que foi discutido aqui. Essa questão sequer está pautada, redução de honorários não é uma discussão que se tenha no âmbito da Ordem e muito menos no âmbito da presidência ou da diretoria”, garantiu ele.

Na última semana, advogados o acusaram de defender a redução de honorários usando como justificativa uma recomendação nacional da OAB. Depois de ser criticado, Lúcio teria sugerido uma nova reunião com juízes e procuradores para discutir a fixação dos valores. O presidente negou ter defendido qualquer redução, mas reafirmou que tem como objetivo que os honorários sejam, em breve, motivo de debate. “A minha preocupação é como, junto com os previdenciários, atuar para resolver esse problema de os nossos advogados”, concluiu.

 

Deixe um comentário