Lincoln Tejota critica pesquisas eleitorais e pede mais responsabilidade de institutos

Deputado estadual criticou levantamentos que erraram projeções do candidato de seu partido, Francisco Júnior, nas eleições municipais

| Foto: Y. Maeda

Lincoln ressaltou que erros em pesquisas são problemáticos porque o eleitor tende a acompanhar os indíces | Foto: Y. Maeda

O deputado estadual Lincoln Tejota (PSD) voltou a criticar, nesta terça-feira (4/10), as pesquisas eleitorais de Goiânia, classificadas por ele como “mentirosas”. Nos últimos levantamentos do Ipobe e do Serpes, divulgados no sábado (1º/10), o candidato do PSD, Francisco Júnior, aparecia, respectivamente, com 5% e 5,5% das intenções de voto. Ao final da apuração, ele ficou com 9,31%. A margem de erro era de 4 pontos percentuais.

“Essas pesquisas têm sido muito mentirosas”, criticou Lincoln, que defendeu inclusive que os institutos responsáveis pelo levantamento sejam responsabilizados. “Eu acredito que medidas judiciais têm que ser tomadas em relação à esses institutos que estão publicando essas pesquisas, porque não tem jeito, a tendência é que o eleitor acompanhe esses índices”, criticou ele.

Lincoln também criticou as amplas margens de erro como a do Serpes. “A gente sabe que quatro pontos é uma irresponsabilidade, os institutos de pesquisas estabelecem essa margem de erro porque não querem se responsabilizar e isso é um absurdo. Quatro pontos para mais, quatro pontos para menos, nós estamos falando de 8%”, pontuou.

Ele voltou a mencionar o caso de Vilmar Rocha (PSD) quando ele se candidatou para senador nas últimas eleições: “Com o Vilmar Rocha (PSD) aconteceu a mesma coisa, as pesquisas indicavam ele com 8% e ele bateu a casa dos 30%”, afirmou.

Questionado se o PSD pretendia tomar alguma medida, ele afirmou que ainda não sabe, porque tem que ser uma deliberação coletiva. “Foi uma irresponsabilidade muito grande, mas se formos tomar qualquer decisão, tem que ser tomada em grupo”.

Balanço

Apesar de Francisco ter perdido a disputa, Lincoln avalia como positiva a sua participação e votação nas eleições municipais. “O Francisco, ainda afirmo, é de longe o homem mais preparado hoje para Goiânia, infelizmente a gente não teve tempo hábil para mostrar isso para Goiânia”, lamentou.

“No entanto, no pouco tempo que a gente teve ele subiu de 1% para quase 10%. Se a gente tivesse o período das eleições anteriores, de 90 dias, eu acredito que o Francisco iria para o segundo turno, porque a população estava vendo na pessoa dele um nome sólido, propostas exequíveis”, ressaltou o deputado. “O PSD mostrou que tem bons quadros e que nós nos colocamos aptos para disputar campanhas próximas”.

Sobre quais os próximos passos do PSD na campanha, Lincoln disse que ainda não há posicionamento oficial. Segundo ele, o partido ainda não deliberou sobre quem irá apoiar no segundo turno. “Existe, obviamente, pela postura e pelo que a gente pensa como política pública para Goiânia, uma tendência de que a gente caminhe mais próximo ao Vanderlan, mas isso não está definido”, declarou.

 

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.