Líder do PT na Câmara considera “positivo” período de autoconvocação

Desde o dia 5/1, os vereadores têm comparecido em sessões extras do plenário para votar projetos de interesse do prefeito Paulo Garcia (PT)

Vereador Carlos Soares é líder da prefeitura na Câmara | Foto: Alberto Maia/Câmara de Goiânia

Vereador Carlos Soares é líder da prefeitura na Câmara | Foto: Alberto Maia/Câmara de Goiânia

Com a última sessão de autoconvocação marcada para a próxima sexta-feira (29/1), o vereador e líder do PT na Câmara Municipal de Goiânia, Carlos Soares, avaliou como “extremamente positivo” o período que tem colocado em votação projetos de interesse do Paço Municipal.

“Temos trabalhado bastante e a Casa está bastante movimentada, com uma boa participação da população”, avaliou Soares.

Desde o dia 5 de janeiro, já foram realizadas 11 sessões extraordinárias nas quais foram aprovados, em segunda e última votação, dez Projetos de Lei e dois Projetos de Lei Complementares de interesse da prefeitura.

Para a próxima sexta-feira (29/1), devem ser votados dois projetos em segunda votação.
O primeiro projeto é de desafetação de áreas públicas com o objetivo de quitar dívidas da prefeitura com o Instituto de Previdência dos Servidores Municipais (IPSM).

O relatório do projeto ainda não foi apreciado pela Comissão de Habitação, Urbanismo e Ordenamento Urbano, presidida pelo vereador Pedro Azulão Júnior (PSB).

Mesmo assim, o presidente da Câmara, Anselmo Pereira (PSDB) afirmou em sessão na manhã desta quarta-feira (27/1) que o projeto estará incluído na pauta e será votado na sexta-feira (29/1). O vereador anunciou ainda que a sessão de sexta-feira será a última do período de autoconvocação.

O outro projeto que será votado dispõe da criação da a Agência de Regulação, Controle e Fiscalização de Serviços Públicos de Goiânia (ARG), aprovado em primeira votação na última terça-feira (26/1). O relator do projeto, vereador Geovani Antônio (PSDB), manifestou ser favorável à aprovação, mas irá propor a retirada do artigo que define e a criação de cargos comissionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.