Líder do Governo diz que abertura de capital da Saneago independe do RRF

Segundo ele, a possível venda de 49% da estatal é algo que ainda é discutido e será uma forma do Governo reduzir o déficit orçamentário

Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

O líder do Governo na Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), deputado estadual Bruno Peixoto (MDB), disse que a possibilidade de venda de 49% das ações da Saneago por meio de oferta pública inicial (IPO) não é projeto para aderir ao Regime de Recuperação Fiscal (RRF) e que a abertura de capital independe da entrada ou não do Estado no programa.

Essa é uma questão que foi levantada, porque uma das exigências do programa de renegociação de dívidas com o Governo Federal é a privatização de alguma estatal que atue no abastecimento. Com isso, desde que se soube dos interesses desta gestão em aderir ao programa, a privatização da Saneago é ventilada.

A medida, portanto, foi vista como mais um passo rumo à entrada no RRF. O que foi negado por Bruno Peixoto. Segundo ele, a venda desse percentual será uma forma do Governo reduzir o déficit orçamentário. “Por mais que o governador tenha reduzido o número de cargos comissionados, de prédios alugados, ainda há um déficit, e isso tem que ser debatido”, disse.

Trâmite

A Saneago, além disso, pleiteia no Conselho de Valores Mobiliários (CVM) uma mudança de categoria, da B para A, para que seja autorizada a negociar ações. “Tudo isso está sendo debatido dentro da empresa, e, evidentemente, a decisão final caberá ao nosso governador, que vai avaliar se vai enviar ou não o projeto à Assembleia”, explicou.

Como a estatal aguarda a autorização do CVM, ela está em período de silêncio e o presidente não pode dar entrevistas até que tudo seja finalizado.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.