Leste-Oeste: Prefeitura deve desapropriar e remover cerca de 300 famílias

Secretário de Infraestrutura diz que Seplanh está “cuidando deste assunto” sem detalhar estratégias

Foto: Felipe Cardoso/Jornal Opção

A Prefeitura de Goiânia retomou, na manhã desta segunda-feira, 15, as obras da Avenida Leste/Oeste. Nesta etapa, a prefeitura quer construir um bueiro no Córrego Palmito — entre a BR 153 e a Avenida Manchester, na Vila Moraes. Em coletiva, o secretário de Infraestrutura de Goiânia, Dolzonan Mattos, adiantou alguns detalhes da obra que enfrenta uma série de dificuldades devido ao número de pessoas que serão desapropriadas para que tudo seja, de fato, concluído.

Ele reconhece que, somente nesse novo trecho da obra, há uma previsão de “muitas” desapropriações: “Serão umas 250 remoções”. “Temos que arrumar um lugar para transferir esse pessoal, mas a Secretaria Municipal de Planejamento Urbano e Habitação (Seplanh) está cuidando deste assunto”, garantiu sem detalhar o que, de fato, deve ser feito ou quais estratégias estão sendo aplicadas.

Dolzonan argumentou, ainda, que existem “diversos trechos livres” e que por enquanto ainda é possível executar a obra nesses espaços até que o “processo de remoção” das famílias seja totalmente concluído.

Mattos destacou também que muitas já foram notificadas e que em alguns casos a Prefeitura tem buscado a elaboração de um “documento recíproco”. Esse documento deve garantir aos moradores desapropriados acesso à indenização e, claro, que a prefeitura possa iniciar a demolição de seus imóveis.

Outro trecho

A parte que liga a Castelo Branco a divisa de Goiânia e Trindade também irá implicar na desapropriação de outras famílias. “Já resolvemos a grande maioria, restam, agora, apenas 45 para serem removidas”, destaca o secretário.

Execução do bueiro

Neste primeiro momento a prefeitura irá construir um bueiro para reforçar a capacidade de vazão da região. Apesar  do empenho para divulgação da retomada da obra, a reportagem apurou que, por enquanto, os operários realizam apenas a limpeza do local para instalação dos alojamentos e banheiros químicos. “A ordem é só para limpeza”, garantiu um trabalhador.  “Primeiro limpamos, depois instalamos o alojamento, só depois é que a obra começa. Isso deve acontecer lá para quarta ou quinta-feira”, garante.

Rota

“Sairemos da região da 44. Depois será construída uma ponte sobre o córrego botafogo. Já no trecho que corta a BR-153, para não termos que demolir o túnel da antiga estrada de ferro vamos fazer duas pistas que passarão nas laterais da estrutura, como se elas abraçassem o túnel”, explica Dolzonan.

Contagem regressiva

A ideia, segundo o secretário, é de que tudo esteja pronto “até o final do governo Iris”. Questionado se, de fato, a prefeitura tende a conseguir cumprir com todos os prazos estipulados, Dolzonan disparou: “As empresas que estão ganhando essas concorrências são empresas com capacidades econômicas, financeiras e operacionais para nos entregar essas obras”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.