Laudo confirma autoria de 16 mortes por serial killer

Confronto balístico da arma usada pelo vigilante Tiago Henrique nos crimes teve apenas um resultado “inconclusivo”

Foto: André Costa

Foto: André Costa

O Instituto de Criminalística de Goiânia divulgou nesta quinta-feira (4/12) os laudos que comprovam a autoria de ao menos 16 assassinatos pelo vigilante Tiago Henrique Gomes da Rocha, de 26 anos, apontado como o serial killer que agia nas ruas de Goiânia. Entre os casos, estão incluídos os 14 investigados pela força-tarefa da Polícia Civil criada para dar celeridade aos crimes praticados contra mulheres na capital.

O confronto balístico da arma usada por Tiago nos crimes teve apenas um resultado “inconclusivo”. Trata-se do caso da jovem Bruna Gleycielle de Sousa Gonçalves, de 27 anos, morta a tiras no dia 8 de maio, na Avenida T-9, no Setor Bueno.

Em entrevista coletiva, a superintendente da Polícia Técnico-Científica de Goiás, Rejane Barcelos, explicou que o resultado, neste caso, não significa que Tiago não tenha sido o autor do crime que vitimou Bruna. “Quando o projétil entra em contato com o corpo, dependendo do aparato, por exemplo, do fóssil que ele se depara, ele sofre deformações e, em funções dessas deformações, o resultado acaba inconclusivo”, explicou.

Os casos confirmados pela última remessa de laudos divulgados são os de Taís Pereira Almeira, Ana Maria Victor Duarte, Beatriz Cristina Oliveira Moura, Bárbara Luiza Ribeiro Costa, Lílian Sissi Mesquita e Silva, Wanessa Oliveira Felipe, Thamara da Conceição Silva, Taynara Rodrigues da Cruz, Isadora Aparecida Cândida dos Reis, Ana Karla Lemes da Silva e Janaína Nicácio de Souza. Também estão incluídos na lista os assassinatos de dois homens, Mauro Ferreira Nunes e Pedro Henrique de Paula Souza.

Destes casos, três não estavam incluídos na lista de crimes investigados pela força-tarefa da Polícia Civil, mas foram adicionados, ao longo das investigações, desde a prisão de Tiago Henrique, no último dia 14 de outubro.

Durante a tarde desta quinta-feira, o delegado Thiago Damasceno recebeu das mãos da superintendente Rejane Barcelos os laudos referentes a 14 casos investigados. Outros três já haviam sido entregues no dia 3 de novembro, com a confirmação da autoria por parte do vigilante nos assassinatos de Ana Lídia de Sousa Gomes, Juliana Neubia Dias e Rosirene Gualberto da Silva.

Durante entrevista, o titular contou que existem inquéritos policiais sobre o caso do suposto serial killer, que dependiam apenas dos resultados dos laudos para serem finalizados. “Com o laudo dando positivo ou não, nós já temos elementos para indiciar o Thiago. Mas, é claro, é uma prova técnica, que ajuda bastante”, pontuou.

Deixe um comentário