Laboratórios vão ao MP denunciar falta de encaminhamento de pacientes pela prefeitura

Prestadores de serviço acusam falhas em novo sistema para agendamento de exames da Prefeitura de Goiânia 

Cerca de 25 sócios e proprietários de laboratórios credenciados à Prefeitura de Goiânia procuraram na última terça-feira (9/1) o Ministério Público de Goiás para denunciar a falta de encaminhamento de pacientes para exames, apesar das filas no atendimento público de Saúde na capital.

Segundo os empresários, desde que a gestão Iris Rezende (PMDB) implantou novo sistema eletrônico para marcar exames, em substituição ao antigo “chequinho”, a grande maioria dos credenciados não recebem mais a quantidade de pacientes que atendia anteriormente.

“Apenas 5 ou 6 laboratórios, de um total de 66 credenciados, continuam atendendo um bom número de pacientes. No meu caso, se antes eu atendia 30 pessoas por dia, esse número para 5 a 10 por mês. Enquanto os Cais estão cheios, com um monte de gente esperando para fazer exames, por outro lado nós estamos aqui com os braços cruzados”, relatou Dayanna Galttieres Miranda, dona de dois laboratórios de Goiânia que prestam serviço para a prefeitura.

Após reunião com a promotora Leila Maria de Oliveira, da 50ª promotoria de Justiça, o grupo deve voltar nesta quarta-feira (10/1) ao MP com toda documentação para abertura de protocolo para investigação.

Eles também denunciam falta de preparo dos funcionários da prefeitura para lidar com a nova tecnologia, além do atraso de repasse referentes a algumas folhas de pagamento.

À reportagem, o gabinete da 50ª Promotoria de Justiça confirmou a reunião entre a promotora Leila Maria de Oliveira e representantes de alguns laboratórios na última terça-feira (9/1) e que aguarda a protocolização formal dos documentos para dar inícios às investigações.

A promotora Leila Maria é responsável por outra investigação que também tem como alvo a Secretaria Municipal de Saúde de Goiânia. Ela investiga a interrupção dos atendimentos odontológicos na rede pública de Saúde em Goiânia por suposta falta de insumos.

Novo sistema

Desde o dia 1º de dezembro do ano passado começou a funcionar o novo sistema de autorização de exames nas unidades de saúde da capital. Na época da implantação, o sistema foi apresentado como o “fim das filas” para o chamado “chequinho”.

Na última terça-feira (9), primeiro dia do ano para agendamento de consultas na rede pública, o Jornal Opção visitou unidades de saúde e verificou muitas falhas no novo sistema.

Deixe um comentário