Karlos Cabral diz que tende a ser contra venda de ações da Saneago, mas considera refletir 

Deputado defende que privatizar serviços essenciais é um risco para a população, mas se propõe a refletir sobre projeto apresentado por Caiado, já que mantém controle do Estado 

Foto: Reprodução

O deputado Karlos Cabral (PDT) afirmou ao Jornal Opção que tende a ser contrário à projetos de privatizações do saneamento, se posicionando inicialmente contra a proposta do governo de abrir o capital da Saneago. Segundo o político a ação do governo carece de análise cautelosa, mas se propõe a refletir sobre a matéria

Segundo o político, a ação coloca em risco a manutenção desse tipo de serviço, considerado por ele essencial para a saúde e bem-estar da população. “Os serviços essenciais não são gastos e tão pouco são custos, eles são investimentos necessários que o Estado precisa fazer para garantir a qualidade de vida para a população”, defende deputado.

Para o pedetista, privatizar serviços essenciais é um risco, já que a iniciativa privada, em essência, necessita dos lucros, “ao contrário do poder público, que para se manter precisa do bem estar da população e a qualidade de vida”, considera Karlos. Entretanto, visto que o projeto apresentado pelo Governo mantém o controle do Estado, com possibilidade de venda de até 49% das ações, Karlos Cabral vê possibilidade de reflexão.    

“Talvez esse seja o  fator que possa me levar a refletir sobre essa possibilidade. Colocar um pouco mais de abertura de capital da Saneago para a iniciativa privada se não perder o domínio público, isso pode ser um caractere de observação”, considerou o deputado.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.