Kajuru defende punição à equipe de Iris e diz que professora agredida está “deprimida”

Segundo vereador, maior gravidade do caso foi o fato do prefeito não saber aceitar xingamentos. Servidora expulsa por seguranças procurou ajuda psicológica

Kajuru publicou vídeo nas redes sociais criticando a ação do pref

Durante o primeiro mutirão do prefeito Iris Rezende (PMDB) de 2017, uma professora foi supostamente agredida por seguranças de Iris Rezende e pelo próprio prefeito. A denúncia foi feita pelo vereador Jorge Kajuru (PRP) em suas redes sociais. O parlamentar afirmou que o peemedebista “agarrou pela nuca” uma manifestante, exigindo respeito.

Em entrevista ao Jornal Opção, Kajuru disse que conversou com pessoas que estavam no mutirão, que afirmaram que os seguranças empurraram a servidora municipal e retiraram o seu celular à força.

O momento da suposta agressão foi filmado pela professora. Na gravação, entretanto, não é possível atestar qualquer ato violento por parte do prefeito. As imagens, porém, mostram Iris visivelmente alterado. Ele se aproxima da manifestante de forma invasiva e grita ao pé do ouvido: “Imponha respeito. Eu exijo respeito. Eu não sou o Paulo Garcia”.

Depois, a professora é expulsa do local por seguranças do prefeito. Na gravação, ela diz ter sido “praticamente agredida”.

De acordo com Kajuru, que entrou em contato com a professora para oferecer ajuda, a única solicitação dela foi por atendimento psicológico. “Ela está deprimida e chocada”, disse.

Para o vereador, “a maior gravidade da situação foi a surpresa de um homem público de experiência não aceitar xingamentos”. “Ele tem que saber aceitar isso. Os professores que tem razão de manifestar porque foram desrespeitados”, afirmou.

Segundo o parlamentar, os seguranças de Iris devem ser punidos, mesmo que a professora ainda não tenha registrado um boletim de ocorrência.

Desde a divulgação do vídeo, o Jornal Opção entrou em contato com a assessoria de comunicação da Prefeitura de Goiânia, mas ainda não obteve resposta. A professora citada na matéria não atendeu as ligações.

 

 

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.