Kajuru chama Intercept de “Intercéfalo”, Moro de ídolo, mas pergunta se ele também deu dicas à defesa

Ministro da Justiça afirma que não se remete a defensores “notícia crime”, mas que fazê-lo ao Ministério Público é algo “absolutamente trivial e corriqueiro”

O senador goiano Jorge Kajuru (PSB), durante inquerimento ao ministro Sergio Moro, chamou o site The Intercept de criminoso e “Intercéfalo”, além de afirmar que ali não faz jornalismo investigativo. Após chamar o ex-juiz federal de “ídolo”, ele o questionou se do mesmo jeito que respeita Luiz Fux, respeita Gilmar Mendes; se também encaminhou dicas para o ex-presidente Lula (PT).

Moro, por sua vez, afirmou, sobre a segunda questão, que quando se remete uma notícia crime, não o faz à defesa, mas à Polícia ou Ministério Público. “Como juiz recebia notícia crime, de fato possível criminoso, com indicação de prova, às vezes. Quando estourou a Lava Jato, chegava todo di. Juiz repassava ao MP ou Polícia”.

Segundo ele, naquelas mensagens, que não reconhece autenticidade, se aconteceu [e ele não se recorda], foi uma notícia crime que foi encaminhada. “Absolutamente trivial e corriqueiro. Não é dica nenhuma, é repasse de notícia crime”.

Herói

Em dado momento, Moro ainda fez questão de ressaltar que nunca invocou o rótulo de herói e que considera o título inapropriado. Apesar disso, ele reconhece certo ineditismo e mérito na atuação da Lava Jato.

Ele não comentou se respeita o ministro do STF Gilmar Mendes, como o faz por Fux. O ex-juiz foi convocado para falar sobre as mensagens divulgadas entre ele e procuradores da Lava Jato em reportagem no The Intercept.

1 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
1 Comment authors

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

José Amauri Pereira Pinto

Umas das frase que o Kajuru sempre usou em seus comentários, para criticar ou desfazer de alguém, era a seguinte: “Deveria ligar o cérebro antes de ligar a língua.” De tanto entoar esse mantra, parece que o mesmo foi convertido à “Malta dos Sabujos”.