Justiça solta ex-deputado estadual Tiãozinho Costa e Geraldo Magella

Desembargador concedeu habeas corpus aos dois, que foram presos pelo Ministério Público sob suspeita de comandar esquema de desvio, fraudes e lavagem de dinheiro

Foto: Denise Xavier

Embora tenham recebido habeas corpus, Tiãozinho e Magella terão algumas restrições | Foto: Denise Xavier

A justiça concedeu, nesta quinta-feira (22/10), habeas corpus ao ex-deputado estadual Sebastião Costa, conhecido como Tiãozinho Costa, e seu assessor, Geraldo Magella. O desembargador José Paganucci entendeu que não havia motivos para manter a prisão preventiva dos dois, detidos na Operação Compadrio, deflagrada pelo Ministério Público do Estado de Goiás (MP-GO).

Tiãozinho e Geraldo são acusados de comandar uma suposta organização criminosa que praticava crimes como peculato, desvio, lavagem de dinheiro e fraude em licitações públicas. Os dois, embora em liberdade, terão algumas restrições, como o  monitoramento eletrônico (uso de tornozeleiras) e o comparecimento mensal ao juízo para informar e justificar as suas atividades. Eles também deverão manter seu endereço residencial atualizado e comparecer aos atos do processo sempre que intimados.

Ainda consta na decisão que eles não poderão manter contato com Fábio de Oliveira Lemes, Demes de Rosa Castro e com as demais testemunhas do caso. Eles também não poderão de ausentar da comarca (por mais de sete dias) do País sem autorização judicial e terão que se recolher no período noturno, das 22 às 6 horas e durante os fins de semana.

Além dos crimes já mencionados, Tiãozinho e Magella são alvo de investigação por fraude em processos licitatórios mediante o uso de empresas em nome de laranjas e retirada fraudulenta de restrições bancárias, cartorárias e em órgãos de proteção ao crédito, que estão em processos desmembrados.

*Com informações do TJGO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.