Cinco meses depois de agredir a ex-namorada e ser preso, o empresário Thiago Brandão Abreu, de 40 anos, foi solto na tarde desta quinta-feira, 11. A liberdade foi concedida pela juíza Sandra Regina Teixeira Campos, do 3º Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher, em Goiânia.

O empresário foi condenado a mais de 9 anos de prisão em regime fechado. Apesar disso, a juíza concedeu liberdade por bom comportamento, mediante uso de tornozeleira eletrônica. O processo corre em segredo de justiça.

A estudante de Direito Isabella Santos Lacerda, de 21 anos, foi agredida com uma arma e mordidas por Thiago, então seu namorado, em dezembro do ano passado. Segundo relatos da vítima, o empresário se irritou após ela tomar beber cerveja “sem a permissão dele”. Ele nega as acusações.

Em entrevista ao Jornal Opção, a advogada da defesa, Débora Camargo, garante que vai recorrer da decisão em segunda instância. A vítima terá direito ao chamado “botão de pânico”. Mesmo assim, ela teme pela própria vida. “A vítima está em pânico, literalmente. Vai ser oferecido a ela o botão de pânico pelo Batalhão Maria da Penha. Mas, infelizmente isso é muito triste”, relata a defesa.

Para a advogada a decisão é “lamentável” e “não entrega resultado social algum para a sociedade”.

“O que nós preocupa é que ela estuda e em um determinado horário ela está naquele lugar todos os dias. Então, é uma pessoa de fácil acesso e lamentavelmente não dá para confiar [na situação].”

Advogada de defesa, Débora Camargo

Isabella e Thiago tiveram um relacionamento por cerca de 11 meses. Na época da agressão, a estudante contou que o homem é atirador esportivo e sócio de uma empresa de caça e pesca que vende armas e munições. Ainda segundo a jovem, ele sempre anda com uma arma de fogo.