Justiça revoga prisão de pastor acusado de abusar do enteado de 5 anos

Decisão atende à denúncia proposta ainda nesta sexta-feira (8) pelo Ministério Público do Rio de Janeiro

O advogado do pastor Felipe Heiderich informou, nesta sexta-feira (8/7), em uma publicação no Facebook, que a prisão temporária de seu cliente foi revogada pela Justiça carioca. “Aguardamos apenas os trâmites burocráticos para que Felipe seja posto em liberdade e possa assim, provar sua completa inocência”, afirmou o advogado Leandro Meuser na rede social.

A decisão atende à denúncia proposta ainda nesta sexta pelo Ministério Público do Rio de Janeiro. No documento, o órgão ministerial confirma a acusação de estupro de vulnerável, mas pede a revogação da prisão temporária do acusado por entender já ter conseguido obter, na fase de investigação, os elementos necessários para propor a denúncia.

O MP pede, entretanto, a aplicação de outras medidas cautelares, como a proibição de contato do denunciado com a criança e a mãe, uma distância-limite de 250 m entre eles, proibição de deixar o Rio e o recolhimento do passaporte. Ainda não há informações se a Justiça acatou a todas as solicitações.

Marido da pastora Bianca Toledo, Felipe Heiderich foi preso na última terça-feira (5), após denúncia da esposa. Famosa nas redes por seus testemunhos devido a uma experiência de quase-morte, Bianca foi quem tornou o caso público, depois de anunciar na madrugada de quarta o fim de seu casamento, alegando que o marido seria homossexual e pedófilo.

Em um vídeo publicado nas redes sociais, ela afirma que Felipe confessou que possuía “um quadro de homossexualidade latente” e teria tentado suicídio. “Ele chegou a confirmar pra mim (…) e isso me fez querer cancelar esse casamento”, disse sobre a revelação da orientação sexual do marido.

Em seguida, ela diz que o marido também seria pedófilo. “Ele está acautelado por crime de pedofilia e estou aguardando a justiça do céu, a justiça da terra e clamando pelo apoio de todos vocês”, acrescenta.

Horas depois da revelação de Bianca, o senador e pastor Magno Malta (PR-ES) afirmou no plenário do Senado Federal, que o pastor Felipe Heiderich teria sido preso após abusar do próprio enteado, de apenas 5 anos.

Na denúncia à Justiça, o MP confirma a acusação do senador e diz que os “atos libidinosos” ocorreram até o dia 11 de junho deste ano.

Deixe um comentário