Justiça mantém sentença que determinou despejo da Caixa de imóvel em Niquelândia

A decisão do TRF1 foi uma resposta a um recurso da Caixa contra a sentença favorável à proprietária do imóvel, que já havia determinado o despejo

Foto: Reprodução

A Justiça Federal, por meio da 6ª Turma do Tribunal Regional Federal da 1ª Região (TRF1), manteve a sentença que determinou a desocupação imediata, por parte da Caixa Econômica Federal, de um imóvel particular onde funcionava a agência bancária no município de Niquelândia.

A decisão do TRF1 foi uma resposta a um recurso da Caixa contra a sentença favorável à proprietária do imóvel, que já havia determinado o despejo.

Um contrato de locação com prazo vigente de 60 meses havia sido firmado para a instalação da agência da Caixa, de 2001 a 2006. Ao término do contrato, a Caixa apresentou uma proposta de renovação, no entanto, a dona do local não aceitou e solicitou a desocupação.

O Caixa chegou a argumentar que teria direito à indenização, uma vez que realizou melhorias no lugar em mais de R$ 300 mil e o contrato havia sido rescindido unilateralmente.

Contudo, a Justiça considerou correta a sentença de despejo, já que a dona do imóvel não tinha interesse em renovar o contrato. Quanto às benfeitorias no imóvel realizadas pelo banco, o juiz registrou que esse pleito “está fundado em alegações genéricas” e “somente foi efetivado nas razões recursais”.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.