Justiça do Paraná condena executivos da OAS

Empresa fraudava licitações da Petrobras. Paulo Roberto Costa e Alberto Youssef tiveram suas penas reduzidas por acordo de delação premiada

Paulo| Foto: Lúcio Bernardo Jr/ Câmara dos Deputados

Paulo Roberto Costa é ex-diretor de abastecimento da Petrobras| Foto: Lúcio Bernardo Jr/ Câmara dos Deputados

Quatro executivos da OAS, uma das empreiteiras investigadas na Lava Jato, foram condenados nesta quarta-feira (5) pela Justiça Federal do Paraná por corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa. A denúncia do Ministério Público apontava a participação da empresa no grupo que fraudava licitações da Petrobras.

Foram condenados o presidente da OAS, José Aldemário Filho; o ex-diretor-presidente internacional, Agenor Franklin; o ex-diretor financeiro, Mateus Coutinho; e dois executivos da empresa, José Ricardo Nogueira e Fernando Augusto Stremel.

O ex-diretor de abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa, e o doleiro Alberto Youssef tiveram suas penas reajustadas, ambas por causa de acordos de delação premiada e pelo tempo de prisão já cumprido.

Paulo Roberto agora cumprirá pena de seis anos e seis meses de semiaberto, além de confisco de bens de até R$ 29.223.961,00. Youssef, por sua vez, cumprirá três anos em regime fechado. Sua pena total é de 16 anos, 11 meses e 10 dias de reclusão, além de confisco de bens de até R$ 41.517.936,25.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.