Justiça determina que Joesley Batista seja solto

Empresário estava preso desde setembro acusado de irregularidades no acordo de delação premiada

A Justiça Federal de Brasília, através da 12ª vara, concedeu liberdade ao empresário Joesley Batista, um dos donos da JBS. Ele está preso desde setembro em São Paulo, acusado de irregularidades no acordo de delação premiada.

A decisão do juiz Marcus Vinicius Reis Bastos alcança também o executivo Ricardo Saud, da J&F.

“Verifico que a sua prisão temporária foi decretada em 8 de setembro de 2017 e convertida em prisão preventiva em 14 de setembro de 2017, estando o requerido (Joesley Batista) encarcerado preventivamente há exatos seis meses, prazo muito superior aos 120 dias previstos para a conclusão de toda a instrução criminal e flagrantemente aviltante ao princípio da razoável duração do processo (Lei nº 12.850, de 02.08.2013, art. 22, § único)”, afirmou o magistrado.

Prisão

O pedido de prisão foi feito depois de o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, concluir que os colaboradores esconderam do Ministério Público fatos criminosos que deveriam ter sido contados nos depoimentos. A conclusão de que os delatores omitiram informações passou a ser investigada pela PGR a partir de gravações entregues pelos próprios delatores como complemento do acordo.

 

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.