Justiça decreta prisão de Adriana Ancelmo, esposa de Sérgio Cabral

Juiz da 7ª Vara Criminal do Rio de Janeiro determinou que ela fosse detida por participação em esquema de corrupção capitaneado pelo seu marido

| Foto: Reprodução

Adriana já havia sido alvo de mandato de condução coercitiva, quando o marido foi preso | Foto: Reprodução

A Justiça do Rio de Janeiro determinou, na tarde desta terça-feira (6/12), a prisão da mulher do ex-governador Sérgio Cabral (PMDB), Adriana Ancelmo. A decisão, do juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Criminal, determinou que ela fosse detida por sua participação em uma “grande organização criminosa”, em referência a esquema de corrupção capitaneado pelo seu marido.

Marcelo aceitou, também nesta terça-feira, a denúncia da Operação Calicute, do Ministério Público Federal (MPF), que acusa Cabral, Adriana e outras 14 pessoas de crimes que vão desde corrupção passiva até lavagem de dinheiro, formação de quadrilha e organização criminosa. As investigações mostraram que ele cobrava propina de empresas que queriam celebrar contratos com a Prefeitura do Rio de Janeiro.

Além da acusação de que Adriana fazia parte do esquema, o juiz também afirmou que ela pode estar ocultando joias usadas para lavagem de dinheiro, já que apenas 40 das 189 joias adquiridas pelos dois desde o ano 2000 foram apreendidas pela Polícia Federal. A mulher de Cabral foi indiciada por lavagem de dinheiro.

No último dia 17 de novembro, quando Cabral foi preso, Adriana foi conduzida coercitivamente e também foi alvo de pedido de prisão temporária pelo MPF. Na ocasião, Marcelo negou a solicitação por entender que a participação dela não era suficiente para justificar a medida.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.