Justiça decide por prisão preventiva de suspeito de matar ex-namorada a tiros

Crime aconteceu no dia 15 de novembro. Suspeito foi preso pela polícia militar quando tentava fugir para outra cidade

O juiz Leonardo Fleury Curado Dias, da comarca de Aparecida de Goiânia, converteu em preventiva, nesta quinta-feira, 18, a prisão temporária do pintor Ryan Lucas de Souza. Ryan foi submetido a audiência de custódia, por meio da plataforma Zoom, por causa da pandemia de Covid-19, por ser suspeito de matar a tiros a ex-namorada Geovana Rodrigues de Araújo, de 19 anos. O crime aconteceu no dia 15 de novembro, no Setor Independência Mansões, em Aparecida.

Durante a sessão, o magistrado entendeu que a conversão da prisão temporária para preventiva foi necessária, em razão da gravidade dos fatos e de que há indícios suficientes dele ter sido o autor do crime. Além disso, ressaltou que Ryan tentou fugir para outra cidade para não ser preso.

A fundamentação do juiz foi com base nos artigos 310 e 312, do Código de Processo Penal, tendo como fundamento a garantia da ordem pública e para assegurar a completa instrução criminal.

Crime

Segundo inquérito policial, a ex-companheira foi morta com tiros na cabeça e no tórax, quando estava numa rua próximo da casa onde morava. O delegado que investiga o caso, Hudson Benedetti acredita que ele teria assassinado Geovana por não aceitar o fim do relacionamento deles.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.