Justiça condena pastor por homofobia contra ator Paulo Gustavo

José Olímpio da Silva Filho teria orado pela morte de Paulo Gustavo; condenação foi possível de ser convertida em medidas de restrições

O pastor José Olímpio da Silva Filho, da Assembleia de Deus de Alagoas, foi condenado pela Justiça por postagens homofóbicas contra o ator Paulo Gustavo, que morreu em decorrência da Covid-19 em maio do ano passado. Em uma das postagens, o pastor teria escrito: “esse é o ator Paulo Gustavo que alguns estão pedindo oração e reza. E você vai orar ou rezar? Eu oro para que o dono dele o leve para junto de si”, dando a entender que José Olímpio rezaria pela morte do artista.

Com isso, pelo crime, o pastor foi condenado a dois anos e nove meses de prisão. Porém, a pena foi convertida ao pagamento de 30 salários mínimos, ou seja, R$ 33.000, em favor de uma Organização Não Governamental (ONG) que atue junto à comunidade LGBTQIA+, além de seis horas de trabalho comunitário por dia, no tempo equivalente ao da pena. Uma multa de  R$ 10.560 também deverá ser paga como custos processuais.

A condenação conseguiu ser transformada em medidas de restrições pelo fato da pena ser inferior a quatro anos e não ter sido cometida com grave ameaça ou violência. A defesa do pastor argumentou que tudo não se passava de “um grande mal entendido”. Versão não foi acatada nem pelo Ministério Público Estadual ao oferecer a denúncia contra o pastor José Olímpio da Silva Filho.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.