Defesa de Luiz Alberto de Oliveira (Bambu) além de Gisella Albuquerque consideraram no pedido que prisões eram “ilegais e desnecessárias”

Foto: Divulgação/TRF-1

A desembargadora Maria do Carmo Cardoso, do Tribunal Regional Federal da 1ª Região(TRF-1), acatou neste sábado, 30, o pedido de habeas corpus feito pela defesa de Luiz Alberto de Oliveira (Bambu), ex-chefe de gabinete do ex-governador de Goiás Marconi Perillo, além de Gisella Albuquerque, ex-assessora comissionada do governo do Estado.

No texto impetrado pela defesa, os advogados alegaram que as prisões eram ilegais. Bambu e a filha Gisella estavam presos desde a última quinta-feira, 28, durante a segunda fase da Operação Decantação da Polícia Federal. Eles são suspeitos de participar de um esquema de fraudes em licitações de desvios de verba pública da Saneago entre 2012 e 2016.

Dos cinco presos na Operação, seguem detidos o empresário Carlos Eduardo Pereira da Costa e sua esposa Nilvane, proprietários de três empresas investigadas. Na sexta-feira, 29, Robson Borges Salazar, ex-diretor de Gestão da Saneago, que também estava entre os presos, foi solto após receber habeas corpus.