Justiça cassa mandato do suplente de deputado Karlos Cabral

Político do PDT diz que ainda não foi notificado e vai recorrer da decisão. Vaga fica com Cassiana Tomin, do PT

Karlos Cabral  Crédito: Y. Maeda / Alego

O deputado Karlos Cabral (PDT) afirmou na manhã desta sexta-feira (3/3) que ainda não foi notificado da liminar expedida pelo juiz Élcio Vicente da Silva, da 3ª Vara da Fazenda Pública Estadual, que determina seu afastamento do mandato na Assembleia Legislativa.

Segundo publicação da Assembleia Legislativa de Goiás, o parlamentar vai recorrer da decisão. Pela decisão liminar, quem se beneficia é Cassiana Tormin, do PT de Luziânia. Ela ficou com a terceira suplência do partido nas eleições de 2014, com 14.171 votos. O segundo suplente, Gugu Nader, também não figura mais no quadro do PT. Ele filiou-se ao PSB e foi eleito vice-prefeito de Itumbiara em 2016.

Karlos Cabral assumiu o mandato na Assembleia em dezembro de 2016, ocupando a cadeira do agora prefeito de Goianésia, Renato de Castro (PMDB), também ex-PT. Ele teve a vaga assegurada por entendimento do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), de que a vaga pertence à coligação e não ao partido.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.