Justiça bloqueia mais de R$ 3 milhões das contas de empresários da Mult X

Operação Demóstenes revelou existência de organização criminosa que fraudou oito licitações de pavimentação asfáltica em Formosa

Foto: Reprodução

Por decisão da Vara de Fazendas Públicas de Formosa, mais de R$ 3 milhões foram bloqueados, na sexta-feira, 12, das contas dos empresários André Luiz Gontijo de Souza e Vanessa Maris Araújo Fernandes.

O pedido foi feito pelas Promotorias de Justiça da comarca e aceito pelo juiz Lucas Siqueira. Segundo informações do Ministério Público de Goiás (MP-GO), a medida atinge também o ex-secretário de Obras de Formosa, Jorge Saad.

O decisão é resultado do desdobramento da Operação Demóstenes que investiga atos de improbidade administrativa na cidade de Formosa, localizada a 282 quilômetros de Goiânia.

Foram apuradas fraudes em processos licitatórios destinados a tapar buracos nas ruas do município no ano de 2017. As investigações foram conduzidas em conjunto com o Ministério Público de Contas com atuação no Tribunal de Constas dos Municípios de Goiás (TCM-GO).

Segundo o MP-GO, este é o terceiro bloqueio de bens dos empresários. No primeiro, foram bloqueados R$ 2.745.108,94. Em março deste ano, André Luiz e Vanessa Maris tiveram outros R$ 5 milhões bloqueados.

Na ação protocolada contra os empresários, também foi solicitado a cassação dos direitos políticos dos réus, ressarcimento dos prejuízos causados aos cofres de Formosa, bem como pagamento de multas. O Ministério Público divulgou que também foi solicitado a perda de cargos públicos e a proibição de contratar com o Poder Público.

Ao Jornal Opção o promotor Douglas Chegury, responsável pelo caso, esclareceu que ambos já se apresentaram à Justiça e, após terem pedido de habeas corpus acatado, aguardam o julgamento do processo em liberdade.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.