Para resolver processo, juíza aceita vídeo de WhatsApp de trabalhador que teve problemas técnicos

Por entender que não houve tentativa de lesão, magistrada homologou acordo de auxiliar de serviços gerais com empresa

Justiça do Trabalho aceita vídeo de WhatsApp como manifestação | Foto: divulgação.

A Justiça do Trabalho resolveu um processo, na última quarta-feira (8), de forma inusitada. Um auxiliar de serviços gerais não conseguiu participar da audiência de conciliação virtual por conta de problemas técnicos. Apesar disso, enviou um vídeo pelo WhatsApp para a conciliadora, e a juíza resolveu o processo.

O homem ajuizou a ação trabalhista contra uma empresa do ramo de segurança no início de agosto. O pedido relacionado a pagamento de verbas rescisórias referentes ao contrato de trabalho, que durou sete meses. Na audiência de conciliação, houve proposta de acordo, mas o trabalhador teve dificuldades de ingressar na sala pelo aplicativo Zoom.

O auxiliar de serviços gerais enviou um vídeo para a conciliadora do Centro Judiciário de Métodos Consensuais de Solução de Disputas (Cejusc) de Goiânia. Na oportunidade, o trabalhador disse concordar com os termos apresentados pela empresa. Por não ver tentativa de lesão às partes, a juíza Narayanna Hannas homologou o acordo e resolveu o processo.

O trabalhador receberá R$2.400 em parcela única. Em caso de inadimplência ou mora, a empresa deve pagar multa de 50%.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.