José Eliton vai aos Estados Unidos em busca de reforço para economia goiana

Pepista vai discutir redução de tributos e políticas de fomento para empresas estrangeiras, em Nova York

José Eliton vai a Nova York em 20 de janeiro | Foto: Lailson Damasio/Governo de Goiás

José Eliton: política de fomentos na pauta | Foto: Lailson Damasio/Governo de Goiás

O vice-governador do Estado, José Eliton (PP), vai começar sua empreitada para fortalecer a economia goiana no próximo dia 20 de janeiro, em Nova York, em audiência na Câmara Americana de Comércio. O pepista relatou a jornalistas que o ritmo de trabalho será intenso não só agora, quando pousar na terra do Tio Sam, mas igualmente nos próximos quatro anos.

Em sua primeira viagem ao exterior como secretário de Desenvolvimento Econômico, Científico, Tecnológico e de Agricultura, Pecuária e Irrigação, ele disse que o foco vai além da atração de novas empresas Goiás. “Não vou só discutir questões de natureza tributária e de redução de alguns tributos, mas também a implementação de políticas regionalizadas para o fomento.”

José Eliton destacou que, assim como Marconi Perillo, será um “caixeiro viajante” para vender o que o Estado tem a oferecer para empresas estrangeiras. Na visão dele, a importância da função foi realçada após sua nomeação a uma das mais visadas secretarias do quarto governo de Marconi Perillo (PSDB).

Desafios

Do ponto de vista econômico, José Eliton avalia que um dos desafios a ser enfrentado no próximo governo será a crise financeira nacional. “Espero que não seja tão forte, como os sinais e indicadores econômicos apontam para o Brasil nos próximos anos”, frisou.

O vice relatou que o seu trabalho no governo será o de fazer com que Goiás continue sendo uma “ilha de prosperidade”. “Mesmo em cenário de crise, eu dizia à Fieg [Federação das Indústrias do Estado de Goiás] e ao Fórum Empresarial Goiano que as crises muitas vezes são momentos de oportunidades. É aí que o empresariado se fortalece e a economia goiana quer crescer”, analisou José Eliton.

O auxiliar do governador destacou ainda que uma das metas do Poder Executivo no setor econômico, conforme disse a jornalistas, é a de subir da nona para a oitava posição no ranking nacional. Para ele, a parada será dura, já que a Bahia está à frente, com Produto Interno Bruto (PIB) que gira em torno de R$ 164 bilhões, enquanto Goiás tem R$ 133 bilhões.

Baixa no PIB

As perspectivas de dificuldades econômicas no País foram expostas novamente em dados divulgados pelo Banco Central nesta terça-feira (23/12). A instituição estimou que a economia brasileira deverá registrar expansão de apenas 0,2% neste ano, conforme estimativa do relatório de inflação do quarto trimestre.

Esta é a terceira vez que a previsão de crescimento do PIB nacional é reduzida em 2014. As baixas para os próximos anos foram destacadas pela presidente Dilma Rousseff (PT) nesta semana, que inclusive anunciou corte de gastos na União.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.